Corpo de embaixador morto em ataque na Líbia chega a Washington

Barack Obama e Hillary Clinton mantiveram discurso de levar "justiça" a todos os envolvidos

iG São Paulo |

Os corpos do embaixador Christopher Stevens e outros três americanos mortos em um ataque ao consulado dos Estados Unidos em Benghazi, na Líbia, chegaram à base aérea de Andrews, próxima à capital Washington, nesta sexta-feira. Os restos mortais foram recebidos pelo presidente Barack Obama, a secretária de Estado Hillary Clinton, familiares e o Corpo de Fuzileiros Navais.

Em breve discurso, Obama reiterou que "fará justiça" aos envolvidos no ataque aos diplomatas na Líbia. "Essas pessoas tinham uma missão, acreditavam nela e sabiam dos riscos", declarou o presidente americano. "Levaremos justiça àqueles que roubaram essas vidas."

Reuters
Corpo do embaixador Christopher Stevens chega a Washington e é escoltado por Obama e Hillary Clinton

Hillary Clinton, por sua vez, reafirmou o compromisso dos Estados Unidos de atuar em áreas de instabilidade no Oriente Médio. "Precisamos continuar liderando o mundo. Nós devemos isso a essas quatro pessoas. Vamos continuar trabalhando com a diplomacia".

Os discursos acontecem em meio a uma onda de ataques a embaixadas americanas e europeias no Sudão, no Líbano e na Tunísia. Ao menos três pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em confrontos entre manifestantes e forças de segurança. No Egito, milhares tomaram a Praça Tahir para protestar contra o filme que ridiculariza o Islã.

Leia mais: Protestos violentos contra filme anti-islâmico atingem Sudão e Líbano

Até o momento, autoridades da Líbia prenderam quatro suspeitos de participação no ataque - suas identidades ainda não foram reveladas. Os Estados Unidos ainda não descartam a participação de grupos extremistas ligados à Al-Qaeda.

Espaço Aéreo

O governo da Líbia mandou fechar temporariamente o espaço aéreo sobre o aeroporto de Benghazi nesta sexta-feira. A medida foi tomada após milícias armadas abrirem fogo contra aviões não tripulados dos Estados Unidos, dias depois de o embaixador americano e outras três autoridades serem mortos em um ataque.

Com CNN

    Leia tudo sobre: eualíbiachristopher stevensislamismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG