Peru não deve dialogar com grupo terrorista, diz presidente Humala

Contrariando as ações da Colômbia, governo de Lima afirma que não fará acordo com remanescentes do Sendero Luminoso

iG São Paulo |

Ao contrário do vizinho colombiano, que iniciou conversas de paz com as Farc, o governo do Peru não irá dialogar com os remanescentes do grupo terrorista Sendero Luminoso, afirmou o presidente Ollanta Humala, nesta quarta-feira.

AP
Presidente do Peru diz que não irá dialogar com grupo terrorista Sendero Luminoso (arquivo)

"Não podemos dialogar com terroristas que matam à vontade, que sequestram nossas crianças, que dizem não aos direitos fundamentais da população e que pretenderam mudar o rumo democrático do país", disse Humala em uma entrevista a jornalistas estrangeiros.

Apesar da declaração, o presidente peruano reiterou seu apoio ao governo da Colômbia e sua iniciativa de propor um acordo de paz com as Farc, grupo armado que atua na região.

Leia também: Gravemente ferido, líder do Sendero Luminoso é capturado no Peru

Embora bastante ativo durante as décadas de 1980 e 1990, o Sendero Luminoso, de origem maoísta, perdeu força após a captura de seu fundador, Abimael Guzmán, em 1992. Na época, o grupo era responsável por diversos ataques a policiais e autoridades. Hoje, vive apenas do tráfico de drogas na região.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: peruollanta humalasendero luminoso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG