Vice-presidente do Iraque rebate sentença de morte: 'Injusta e falsa'

Líder sunita do Iraque, Tareq Al-Hashemi, afirma que julgamento teve conotações políticas

iG São Paulo |

O vice-presidente e principal líder sunita do Iraque, Tareq Al-Hashemi, rebateu a sentença de morte emitida neste domingo, após a justiça iraquiana considerá-lo culpado de liderar diversos ataques contra forças de segurança e centenas de xiitas. Segundo ele, as alegações são "falsas e injustas". No mesmo dia de seu julgamento, uma onda de ataques terroristas deixou cerca de 100 mortos no país.

AP
Vice-presidente iraquiano, Tareq Al-Hashemi, durante coletiva de imprensa

"Todas as acusações contra mim são falsas e injustas", disse Tareq Al-Hashemi durante uma coletiva de imprensa, afirmando ainda que o veredicto tem conotações políticas. "Esperava ser julgado por uma corte justa, e não por corte influenciada pelo primeiro-ministro do Iraque, Nouri Al-Maliki, um xiita".

O atual presidente do Iraque e líder curdo, Jalal Talabani, também lamentou a sentença. "É lamentável, principalmente neste período, um veredicto como este, enquanto Tareq Al-Hashemi ainda ocupa o cargo de vice-presidente", declarou.

Leia também: Vice-presidente iraquiano sunita é condenado à morte

O julgamento contou com dez audiência e o depoimento de um dos ex-seguranças do vice-presidente, que afirmou ter sido pago por ele para cometer ataques. Hashemi disse acreditar que seus seguranças tenham sido torturados ou coagidos a testemunhar contra ele.

O governo xiita acusou Hashemi de estar envolvido em 150 explosões, assassinatos e outros atentados entre 2005 e 2011, muitos cometidos por seus seguranças e outros funcionários.

Tareq Al-Hashemi tem 30 dias para recorrer da sentença.

    Leia tudo sobre: Iraquehashemisunitasxiitas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG