Taleban diz que tentará matar príncipe Harry no Afeganistão

Porta-voz do grupo insurgente ameaça integrante da família real britânica que passará quatro meses em missão na província de Helmand

iG São Paulo |

AP
Príncipe Harry faz sinal de positivo em base militar de Helmand, no Afeganistão, para onde foi enviado

O grupo insurgente Taleban afirmou nesta segunda-feira que tentará matar o príncipe Harry durante sua missão de quatro meses no Afeganistão

Harry, que é piloto de helicópteros Apache, chegou na quinta-feira à noite a Camp Bastion, a principal base britânica na província de Helmand, região onde o Taleban é mais forte no país e onde são registrados os combates mais intensos na luta entre insurgentes e forças da coalizão.

Leia também: Príncipe Harry é enviado para missões no Afeganistão

"Faremos todo o possível para matar o príncipe Harry e os outros membros das forças britânicas baseadas em Helmand", afirmou o porta-voz do Taleban, Zabihula Mujahid. "Não queremos capturá-lo, mas, sim, matá-lo."

O príncipe de 27 anos, terceiro na linha de sucessão ao trono britânico, vai participar de missões de combate contra o Taleban. Ele faz parte de um regimento com 100 soldados. "Ele estará em um trabalho difícil e que exige bastante. E eu peço que o deixem cuidar de suas tarefas e permitam que ele se foque em apoiar as tropas da coalizão no solo", disse o capitão Jack Gordon, um dos comandantes do príncipe nas Forças Armadas britânicas.

O ministério da Defesa classifica como "baixo" o risco de militares como Harry que voam em helicópteros Apache. O Taleban reivindica ter derrubado um Apache no conflito com os britânicos. Fora esse caso, as forças britânicas nunca tiveram nenhum Apache abatido por fogo inimigo, dos 67 que foram enviados a combates. O veículo é usado para achar e destruir tanques equipados com mísseis e metralhadoras.

Visita ao Brasil: Em São Paulo, príncipe Harry joga polo, ajuda adversário e ganha fãs

Esta é a segunda vez que Harry é enviado ao Afeganistão. Em 2007 e 2008, ele passou dez semanas em Helmand. Na ocasião, a imprensa britânica fez um acordo com a Família Real para não noticiar a sua presença no país.

Ele acabou deixando o Afeganistão depois que um veículo de mídia resolveu noticiar sua presença lá. Naquela ocasião, Harry atuou como controlador de voo, orientando aviões sobre onde atacar posições do Taleban na província de Helmand.

Em diversas ocasiões, Harry reclamou de ter sido retirado do Afeganistão. Em abril, ele disse que era inútil continuar treinando como piloto de Apache, se ele continuasse não sendo aproveitado no Afeganistão. "Eu estaria apenas ocupando o lugar de outra pessoa, se não quiserem me mandar para o serviço", disse ele, na ocasião.

Em sua estadia de quatro meses, ele dividirá um modesto quarto com outro soldado em um contêiner.

Com AFP e BBC Brasil

    Leia tudo sobre: harrypríncipepríncipe harryfamília realreino unidoafeganistãotaleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG