Menina de 4 anos é encontrada viva sob corpos nos Alpes franceses

Paralisada de medo, criança passou oito horas em meio aos corpos da mãe, do pai e da avó; carro foi descoberto na quarta-feira

iG São Paulo | - Atualizada às

Uma menina de quatro anos foi encontrada viva nesta quinta-feira dentro de um carro em meio aos corpos de três adultos  - que, acredita-se, seriam seus pais e sua avó. Eles teriam sido assassinados a tiros na região dos Alpes na França, na região de Haute-Savoire, na quarta-feira.

A descoberta da menina aumentou o drama em torno do misterioso crime, que veio à tona na quarta-feira. Na ocasião, autoridades francesas disseram ter encontrado quatro adultos mortos (três no carro e um perto de uma bicicleta) e uma criança de 7 anos, que foi hospitalizada com ferimentos provocados por três tiros. Acredita-se que as duas garotas sejam irmãs.

Leia também:  Quatro corpos são encontrados na região dos Alpes na França

AP
Investigador entra em trailer onde família britânica encontrada morta passava férias em Saint Jorioz, perto de Annecy, na França

A polícia francesa tentou explicar o motivo de a menina de 4 anos não ter sido encontrada antes, mas, sim, deixada no carro com corpos durante oito horas, paralisada de medo. "Não a vimos porque ela não se mexia. Provavelmente com medo, ela estava completamente imóvel em meio aos corpos", disse o procurador de Annecy, Eric Maillaud.

Segundo ele, quando os investigadores abriram a porta do carro a menina apareceu, sorriu e esticou os braços. Ela fala inglês, mas não conseguiu contar o que tinha acontecido. "Ela está no hospital e não corre risco de morte, apesar de ter passado pela tragédia de perder sua família em condições tão terríveis", afirmou.

De acordo com o jornal francês Le Figaro, os policiais não abriram as portas do carro temendo quebrar as janelas que haviam sido atingidas por balas e, com isso, comprometer o exame balístico. Um policial contou que bombeiros examinaram o veículo pelos buracos das janelas.

Um helicóptero munido de uma câmera termal sobrevoou a área, mas não foi capaz de detectar a criança, já que ela estava debaixo de sua mãe. Os policias só retomaram a busca quando souberam que o casal tinha duas filhas.

O carro foi encontrado no estacionamento de uma área de passeio em uma sossegada região florestal. Na cena do crime, também foram achados 15 cartuchos de um pistola automática. O ciclista, o homem dentro do carro e a idosa morreram com tiros na cabeça.

Os corpos das duas mulheres estavam no banco de trás do carro, e o do homem, no da frente. Ele foi identificado como Saad al-Hilli, 50 anos, nascido em Bagdá e residente do condado de Surrey, no sudeste da Inglaterra.

O ciclista morto não teria relações com a família britânica, tendo sido baleado porque passou pelo local na hora do crime. De acordo com o jornal francês Le Dauphine, ele é Sylvian Mollier, um homem de 40 anos, pai de três filhos.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: françareino unidocrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG