Homem dispara contra vencedora das eleições de Québec e mata um

Pauline Marois celebrava sua vitória com centenas de eleitores quando seu discurso foi interrompido por tiros; ela saiu ilesa

iG São Paulo |

A polícia de Montreal, no Canadá, informou nesta quarta-feira que uma pessoa morreu e outra está em estado crítico depois que um indivíduo de 50 anos disparou contra a líder do Partido Quebequense (PQ), Pauline Marois, pouco após sua vitória nas eleições legislativas realizadas na terça-feira na província.

AP
Serviço de segurança protege a vencedora Pauline Marois durante tumulto

Um porta-voz policial disse que o suspeito disparou pelo menos uma vez dentro do local onde Marois celebrava sua vitória com centenas de eleitores. Inicialmente, um porta-voz do PQ havia dito que a bala disparada era de festim. O agente também afirmou que, antes de ser detido, o indivíduo provocou um incêndio no local.

A líder do PQ, que após sua vitória se transformará na primeira mulher na história de Québec a dirigir o Executivo da província, saiu ilesa do incidente, acrescentou a polícia.

Leia também: Tiroteio no Canadá deixa 2 mortos e ao menos 22 feridos

Marois acabava de proclamar "queremos um país" perante centenas de seguidores do PQ quando dois membros de sua equipe de segurança saltaram ao palco e retiraram rapidamente a próxima primeira-ministra de Québec. Pouco depois, Marois voltou aparecer no local onde o PQ celebrava sua vitória eleitoral e solicitou a todos os presentes que deixassem o lugar com tranquilidade.

Minutos depois, imagens de televisão mostraram vários policiais detendo um indivíduo e um foco de chama na porta traseira do local onde acontecia a reunião do PQ. As imagens também mostraram um policial recolhendo uma espingarda do chão. A polícia de Montreal confirmou através de sua conta no Twitter a detenção de um suspeito e que duas pessoas haviam ficado feridas.

A televisão pública canadense CBC disse que o indivíduo detido gritou em francês "os anglos estão despertando". Um dos principais temas da campanha eleitoral de Québec foi a possibilidade que uma vitória do Partido Quebequense nas eleições abra a porta para a convocação de um terceiro referendo separatista, após os realizados em 1980 e 1995.

Com EFE

    Leia tudo sobre: canadámontrealquébec

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG