'Barack conhece o sonho americano porque o viveu', diz Michelle Obama

Primeira-dama dos EUA brilha com discurso emotivo no primeiro dia da Convenção Democrata em Charlotte, na Carolina do Norte

iG São Paulo | - Atualizada às

A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, brilhou nesta terça-feira com um emotivo discurso sobre os valores de seu marido e candidato à reeleição, o presidente Barack Obama, na abertura da Convenção Democrata, que também deu ao prefeito de San Antonio, o hispânico Julián Castro , um papel de destaque.

Antes dos discursos de Michelle e Castro no Time Warner Cable Arena de Charlotte, vários políticos e personalidades do Partido Democrata defenderam com entusiasmo Obama como um líder necessário para que os EUA "sigam em frente", com mensagens mais pragmáticas que as da "mudança" de 2008 e mais centradas nas conquistas de seu mandato.

Leia também: E m tom emotivo, democratas lançam Obama para reeleição

AP
Michelle Obama faz discurso emotivo na Convenção Democrata em Charlotte, na Carolina do Norte


"Barack continua sendo o mesmo homem por quem me apaixonei" e "não acreditava que fosse possível, mas hoje amo meu marido mais que há quatro anos", disse Michelle, radiante com um vestido fúcsia e reconhecida atualmente uma das figuras mais populares do partido.

O presidente "conhece o sonho americano porque o viveu" e podemos confiar em suas promessas porque mantém intactas as convicções que o levaram à Casa Branca, resumiu a primeira-dama. Após tantos "momentos que puseram a toda prova meu marido de uma maneira que nunca teria imaginado, vi em primeira mão que ser presidente não muda quem você é, mas revela quem você é de verdade", refletiu Michelle.

No plano político, lembrou que seu marido aprovou o resgate da indústria automobilística após a crise e "se negou a escutar os que lhe diziam que deixasse a reforma da saúde para outro dia". Obama "nunca esqueceu como começou" e quando se trata da reconstrução da economia, da saúde ou da educação, segundo a primeira-dama, pensa em seus valores e em dar a todas as pessoas "as mesmas oportunidades" que o ajudaram a ter êxito.

O presidente, que chegará nesta quarta-feira a Charlotte para aceitar na quinta-feira oficialmente a candidatura de seu partido à reeleição, acompanhou o discurso de sua esposa na Casa Branca junto com suas duas filhas, Malia e Sasha. "Estarei em casa, e estarei vendo com nossas filhas. E vou fazer de tudo para que não vejam seu pai chorar, porque quando Michelle começa a falar, meus olhos enchem de água", revelou Obama horas antes durante um ato de campanha em Norfolk (Virgínia).

Antes do aplaudido discurso de Michelle quem também recebeu uma grande ovação foi o prefeito Julián Castro, que fez história ao se tornar o primeiro hispânico a pronunciar o discurso principal na abertura da convenção democrata. Castro evocou sua avó Victoria, mexicana e que trabalhou como criada, cozinheira e babá nos EUA, e aprendeu a ler e escrever apenas em inglês e espanhol, e destacou que em apenas duas gerações ele e seu irmão gêmeo conseguiram ser políticos.

Críticas: Romney ataca Obama ao aceitar candidatura republicana à presidência

"Não importa quem seja ou de onde venha, o caminho é sempre seguir adiante", ressaltou Castro, de 37 anos e prefeito de uma das sete cidades maiores dos EUA. Cerca de 800 dos seis mil delegados democratas que participam desta convenção são hispânicos, um coletivo que tem cada vez mais peso dentro do partido e cujo voto será decisivo nas eleições do dia 6 de novembro. Entre os discursos mais aplaudidos do dia esteve o de Nancy Pelosi e outras 20 mulheres congressistas, que entraram ao palco precedidas da canção "I'm Every Woman", de Chaka Khan.

Já o ex-presidente Jimmy Carter destacou em uma mensagem em vídeo que Obama teve que lidar com uma oposição republicana "sem precedentes" e, apesar disso, evitou uma "calamidade econômica", pôs fim à Guerra do Iraque e aprovou uma reforma da saúde. Nesta quarta-feira será a vez do ex-presidente Bill Clinton, que nomeará formalmente Obama como candidato à reeleição.

Com EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG