México declara Peña Nieto presidente eleito e oposição ameaça protestar

Opositor esquerdista Andrés Manuel López Obrador, que ficou em segundo lugar, acusa vencedor da eleição de comprar votos

iG São Paulo | - Atualizada às

O máximo tribunal eleitoral do México declarou nesta sexta-feira Enrique Peña Nieto como presidente eleito, um dia depois de ter rejeitado um recurso da esquerda para invalidar a eleição dele por suposta compra de votos e outras irregularidades.

Saiba mais:  Justiça mexicana rejeita pedido da esquerda para anular eleições

AP
Policiais do lado de fora do Tribunal Federal Eleitoral, na Cidade do México

Com Peña Nieto, que assumirá o cargo em 1º de dezembro por um período de seis anos, volta ao poder o Partido Revolucionário Institucional (PRI), que governou o país por 71 anos, muitas vezes entre acusações de corrupção e autoritarismo.

O rival de Peña Nieto nas eleições, Andrés Manuel Lopez Obrador se recusou a reconhecer a decisão da corte sobre a eleição de 1º julho e conclamou simpatizantes a uma grande manifestação.

O esquerdista disse que a mais alta corte eleitoral do país fez uma decisão ilegítima ao declarar Peña Nieto presidente eleito. Desde o anúncio dos resultados da eleição, Obrador tem acusado o presidente eleito de usar dinheiro ilícito para comprar votos e cobertura midiática.

O tribunal eleitoral, no entanto, argumentou que não havia evidência suficiente sobre más condutas.

Peña Nieto ganhou as eleições presidenciais de 1º de julho, derrotando Obrador, que concorria pela segunda vez por uma aliança de esquerda liderada pelo Partido da Revolução Democrática (PRD).

*Com BBC e Reuters

    Leia tudo sobre: méxicoeleição no méxicopeña nietoobrador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG