Clint Eastwood rouba a cena na noite da nomeação de Romney

Ator arranca gargalhadas da plateia ao conversar com 'Obama imaginário' na convenção republicana, mas é alvo de críticas na internet

iG São Paulo |

O ator e diretor americano Clint Eastwood roubou a cena na grande noite da confirmação de Mitt Romney como o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos. No palco da convenção republicana em Tampa, na Flórida, Eastwood arrancou aplausos e risos da plateia ao conversar com uma cadeira vazia numa conversa imaginária com o presidente americano, Barack Obama, rival de Romney na eleição de novembro.

Saiba mais: Veja em quem as celebridades vão votar nas eleições dos EUA

"O país é nosso, os políticos são nossos empregados, e quando alguém não faz o seu trabalho é preciso demiti-lo", afirmou Eastwood, vencedor do Oscar de Melhor Diretor por "Menina de Ouro" e "Os Imperdoáveis".

Eastwood, 82 anos, já foi prefeito de Carmel, na Califórnia, e tem uma longa relação com o Partido Republicano. Defensor do conservadorismo fiscal, ele adota posições associadas aos democratas em questões sociais como o casamento homossexual e a proteção do meio ambiente. Seu apoio a Romney foi anunciado no início do mês, quando se uniu a outras celebridades que apoiam o republicano, como os atores Jon Voight e Chuck Norris. Um maior número de famosos, porém, apoia Obama.

A participação de Eastwood na última noite da Convenção Nacional Republicana começou com um discurso, sem teleprompter, no qual ele falou sobre a vitória de Obama nas eleições de 2008. "Ele prometia mudança e esperança, havia velas, (a apresentadora) Oprah (Winfrey) chorava. Até eu chorava. Mas agora choro pelos 23 milhões de desempregados neste país", disse à cadeira vazia, que simbolizava, segundo ele, a liderança ausente da Casa Branca.

Leia também:  Clint Eastwood anuncia apoio a Romney nas eleições dos EUA

Eastwood aproveitou para atacar a gestão econômica de Obama, seus esforços para fechar o centro penitenciário de Guantánamo e "a estúpida ideia" de julgar os suspeitos dos atentados do 11 de Setembro em Nova York. Para o ator, chegou a hora de Romney, "um empresário estelar", tomar as rédeas do país e, ao lado do candidato republicano a vice-presidente, Paul Ryan , passar a dirigir os EUA.

A campanha de Obama respondeu rapidamente ao discurso de Clint, publicando no Twitter uma foto do líder na cadeira presidencial e a mensagem: "Esse lugar está ocupado".

Reprodução
Foto publicada no Twitter mostra Obama na cadeira presidencial, numa resposta a Clint Eastwood


Eastwood fez sucesso com a plateia, mas recebeu uma enxurrada de críticas na internet. "Clint, meu ídolo, está parecendo triste e patético", disse Roger Ebert, um dos mais importantes críticos de cinema dos EUA, no Twitter. "Ele não precisava fazer isso consigo mesmo. Não é digno dele."

O comentarista da CNN Howard Kurtz afirmou que a conversa de Eastwood com a cadeira vazia foi "o momento mais estranho que ele já viu em uma convenção". Joe Scarborough, um apresentador conservador da MSNBC, disse que o ator e diretor atrapalhou "uma ótima noite para Romney".

Nos bastidores da convenção, muitos republicanos se mostraram preocupados com o discurso de Eastwood, que provocou mais comentários no Twitter do que o tão aguardado discurso de Romney. Oficialmente, porém, a campanha só fez elogios ao ator.

"Ele é um ícone americano", disse a porta-voz de Romney, Gail Gitcho. "Você não pode olhar para ele sob as mesmas 'lentes políticas' que olha para os outros. Ele é Clint Eastwood."

Com AP e EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG