Supremo mantém condenação de ex-premiê ucraniana

Yulia Tymoshenko foi condenada a sete anos de prisão por 'abuso de poder' depois de ter autorizado assinatura de contratos com a Rússia

iG São Paulo |

A Suprema Corte Especial da Ucrânia rejeitou nesta quarta-feira um recurso contra a condenação da ex-primeira-ministra e líder da oposição ucraniana, Yulia Tymoshenko, a sete anos de prisão por abuso de poder.

Leia também:  Ex-premiê ucraniana recorre contra condenação por abuso de poder

AP
Partidários de Yulia Tymoshenko protestam em frente a tribunal em Kiev, na Ucrânia


A decisão do Supremo deixa fixada definitivamente a sentença emitida em 11 de outubro de 2011 contra Tymoshenko, que foi declarada culpada por "abuso de poder" depois de ter autorizado a assinatura de contratos com a Rússia considerados "altamente onerosos" pelas atuais autoridades da Ucrânia.

Segundo o Supremo, o veredicto é respaldado pelas provas que foram apresentadas durante a audiência do julgamento. Já a defesa de Tymoshenko assegura que a perseguição judicial contra a ex-primeira-ministra tem motivação política e foi orquestrada pelo atual presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich.

As autoridades ucranianas abriram um segundo processo penal contra Tymoshenko por supostamente ter feito o Estado contrair há 15 anos uma dívida de US$ 405 milhões de sua corporação Sistemas Energéticos Unidos (SEU) junto ao Ministério da Defesa russo.

A SEU era dirigida por Tymoshenko quando assinou em 1996 e 1997 dois contratos para a provisão de produtos ao departamento de Defesa russo que supostamente nunca foram cumpridos em sua totalidade.

Tymoshenko, que pode ser sentenciada a outros 12 anos por esse segundo caso, também é protagonista de outros dois expedientes penais por suposto desvio de verbas públicas. 

Com EFE

    Leia tudo sobre: yulia tymoshenkoucrâniakievyanukovych

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG