Governadora reduz para 41 os mortos por explosão em refinaria na Venezuela

Segundo Stella Lugo, boletim trazia algumas pessoas duplicadas e também mortes inexistentes

EFE |

EFE

Stella Lugo, governadora do estado venezuelano de Falcon, onde ocorreu a explosão da refinaria Amuay , reduziu nesta segunda-feira de 48 para 41 o número de mortos pelo acidente do último sábado.

Leia também: Fogo continua em refinaria na Venezuela e coloca em dúvida reativação rápida

"Tinham me passado um boletim na manhã de hoje (segunda-feira) e disse aos ouvintes da 'Unión Radio' que eu o revisaria. Quando cheguei (ao hospital) e revisei com (a ministra da Saúde, Eugenia) Sader, havia algumas pessoas duplicadas, além de pessoas tidas como falecidas, mas que não faleceram", explicou a governadora.

Durante a manhã, Lugo disse que 31 pessoas ainda permaneciam internadas em hospitais de Punto Fijo e Maracaibo com diferentes graus de gravidade, embora todas estejam "estáveis". O Governo não emite um boletim oficial de vítimas desde a noite de sábado, quando calculou 39 mortos e pelo menos 86 feridos.

Veja mais: Venezuela decide não retomar operação em refinaria até extinguir fogo

A refinaria Amuay, no Centro de Refino de Paraguaná (CRP), sofreu uma explosão devido a um vazamento de gás que provocou inicialmente o incêndio de nove tanques de combustível e destruiu casas próximas. 

    Leia tudo sobre: venezuelaexplosãorefinariapetróleoincêndioamuay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG