Temporais deixam mais de 600 desabrigados na Argentina

Província de Buenos Aires, a maior do país, é a mais afetada pelas chuvas dos últimos dez dias; autoridades providenciaram envio de colchões, cobertores, remédios e alimentos

EFE |

EFE

Mais de 600 pessoas permanecem desabrigadas na província de Buenos Aires, a maior da Argentina, por causa de temporais que transbordaram riachos e inundaram estradas, informaram neste sábado (25) fontes oficiais. As intensas chuvas registradas nos últimos dez dias também afetaram campos de regiões rurais da Argentina, um dos maiores exportadores mundiais de grãos.

Leia mais: Cristina Kirchner passa mal e cancela agenda na Argentina

Leia também: Descarrilamento de trem deixa ao menos 30 feridos em Buenos Aires

Um dos distritos portenhos mais afetados é Azul, aonde as inundações chegaram ontem à área urbana após o riacho da cidade transbordar, o que motivou o fechamento do comércio e a suspensão de aulas. O município de Azul, de cerca de 60 mil habitantes, começou a distribuir "botas, colchões, cobertores e produtos de higiene para as pessoas" desabrigadas pelas inundações, que acontecem pela terceira vez no ano, informou à agência oficial "Télam" o subsecretário jurídico do prefeito, Emanuel Barrionuevo.

Relembre: Temporal deixa rastro de destruição e mortes na capital argentina

Os níveis de água começaram a baixar neste sábado em vários distritos portenhos e, por isso, espera-se que o número de desalojados diminua nas próximas horas. "Essa situação de emergência está começando a ser organizada, mas quando baixa a água começam outros problemas, portanto estamos coordenando ações para dar soluções aos moradores", sustentou o vice-governador, Gabriel Mariotto.

No município de General Pueyrredón também foi preciso suspender as aulas na última sexta-feira (24) devido às chuvas, da mesma forma que na cidade de Três Riachos, onde evacuaram também um asilo geriátrico onde viviam 49 pessoas. Mariotto advertiu que foi detectada a construção de canais clandestinos em campos bonaerenses, que "são um problema na hora das chuvas", explicou.

As autoridades argentinas formaram um comitê para o acompanhamento da situação das chuvas na região e providenciaram o envio de colchões, cobertores, remédios, alimentos, equipamentos e brigadas para a assistência dos municípios prejudicados. O alerta meteorológico foi suspenso em várias da regiões da província, onde as chuvas atingiram recordes históricos neste mês, disseram os porta-vozes.

No dia 17, um homem de 34 anos morreu na capital argentina esmagado por uma marquise de cerca de 25 toneladas que desabou sob uma chuva torrencial. 

    Leia tudo sobre: argentinachuvastemporalbuenos airesdesabrigados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG