Segundo a missão da Otan, Dadullah era responsável por promover ataques contra as tropas afegãs e as forças internacionais presentes no Afeganistão

EFE

Um líder talibã paquistanês morreu junto a vários de seus comandados em um bombardeio das forças da Otan no leste do Afeganistão, informou neste sábado a organização militar.

O bombardeio aconteceu ontem no distrito de Shigal wa Sheltan, na província afegã de Kunar, e matou, entre outros insurgentes, o mulá Dadullah e seu "número dois", Shakir.

Leia também:  Quase 400 presos escapam de prisão após ataque talibã no Paquistão

Dadullah, também conhecido como Jamal, era o líder do movimento fundamentalista paquistanês Tehrik-e-Talibã na conflituosa demarcação tribal de Bajaur, no oeste do Paquistão, limítrofe com o Afeganistão e tradicional reduto dos rebeldes paquistaneses.

Segundo a missão da Otan, Dadullah era responsável por decidir a movimentação de combatentes e armas, além de promover ataques contra as tropas afegãs e as forças internacionais presentes no Afeganistão.

A organização assegurou também que o bombardeio não fez vítimas civis.

Afeganistão e Paquistão compartilham uma linha fronteiriça difícil de controlar, que discorre através de um terreno montanhoso por onde insurgentes talibãs costumam movimentar-se para cometer seus ataques.

Os talibãs estão especialmente ativos no sul e no leste do Afeganistão e também nas áreas tribais do Paquistão.

Em ambos os países, sua aspiração é implantar um regime fundamentalista islâmico, mas no Afeganistão eles buscam também a retirada imediata das tropas internacionais desdobradas no país. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.