Romney diz que não revela imposto de renda por causa de dízimo à igreja

Além de ter escrito artigo ressaltando experiência à frente da Bain Capital como trunfo, candidato republicano alfinetou Obama sobre certidão de nascimento

iG São Paulo | - Atualizada às

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, disse que as doações para a Igreja Mórmon, prática conhecida como dízimo, o deixam desconfortável para divulgar o seu imposto de renda, como pedido pelos democratas.

Pesquisa: Obama lidera em Ohio e empata com Romney em dois Estados

"A nossa igreja não publica o quanto as pessoas dão. Isso é feito de forma totalmente privada", disse Romney em entrevista à Parade Magazine, que será publicada no domingo. "Um dos pontos negativos de divulgar a informação financeira de uma pessoa é de que isso agora fica público."

Reuters
Romney em comício ao lado da mulher, Ann, em Michigan

A campanha democrata do presidente americano, Barack Obama, vem pressionando Romney para que divulgue mais de dois anos de imposto de renda. Ele deve ser indicado formalmente candidato pelos republicanos na semana que vem para concorrer com o presidente democrata Barack Obama na eleição de 6 de novembro.

O republicano disse que não divulgará além de seu imposto de 2010, tornado público em janeiro, e o de 2011, esperado para meados de outubro.

Bain Capital

Nesta sexta-feira, Romney afirmou que no tempo em que esteve à frente do fundo Bain Capital aprendeu lições que levará para a Casa Branca, em coluna publicada no Wall Street Journal.

Segundo ele, os 15 anos de gestão do fundo de investimentos que ajudou a criar o ajudarão, "como presidente, a acertar nossa economia, criar empregos e fazer com que as coisas funcionem em Washington".

O candidato republicano é questionado há tempos sobre os lucros obtidos no Bain, onde reuniu uma fortuna estimada em US$ 250 milhões. A equipe de campanha de Obama tenta mostrá-lo como um executivo pragmático que ajudou a deslocar postos de trabalho para o exterior e desmontou empresas para obter grandes lucros.

Em seu artigo, o republicano afirmou que sua experiência também serviu para que organizasse os Jogos Olímpicos de 2002 em seu mandato como governador de Massachusetts, permitindo que entendesse os problemas que enfrentam os empresários ante regulamentações excessivas como as impostas, segundo ele, pela administração Obama.

Certidão de nascimento

Em evento eleitoral desta sexta-feira, Romney alfinetou Obama por causa de sua certidão de nascimento, em comentários que retomam a polêmica sobre a elegibilidade do democrata para o cargo.

"Ninguém nunca me pediu para ver minha certidão de nascimento", disse Romney em um grande comício no Estado de Michigan, para cerca de 7 mil eleitores. "Eles sabem que este é o lugar onde nasci e fui criado", disse ele, fazendo a multidão rir.

Falando ao lado da mulher Ann e do companheiro de chapa, Paul Ryan, os comentários de Romney fizeram referência às teorias de que Obama, cujo pai era do Quênia, não teria nascido nos EUA e, portanto, não poderia concorrer à Presidência.

O presidente americano, no entanto, divulgou cópias de sua certidão de nascimento que mostra que ele nasceu nos EUA e, portanto, é um cidadão norte-americano.

*Com Reuters, EFE e AFP

    Leia tudo sobre: euaeleição nos euaobamaromneycertidãonascimentodízimoimposto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG