Confrontos étnicos deixam ao menos 48 mortos no Quênia

Fazendeiros da etnia Pokomo invadem vilarejo de membros da etnia Orma, numa escalada da disputa por terras e recursos naturais

iG São Paulo |

Um ataque a um vilarejo no sudeste do Quênia deixou ao menos 48 mortos, informaram autoridades nesta quarta-feira. A violência representa uma escalada nas disputas entre fazendeiros e comunidades pastorais por terras e recursos naturais.

Leia também: Pequeno avião com turistas a bordo cai em parque do Quênia

De acordo com o chefe da polícia da região de Tana River, Joseph Kavoo, centenas de fazendeiros invadiram o vilarejo e incendiaram casas. Muitas vítimas morreram queimadas, outros foram espancadas até a morte e atingidas com flechas.

Entre os mortos há 31 mulheres, 11 crianças e seis homens. O ataque começou na madrugada de quinta-feira, quando um grupo de cerca de 200 membros da etnia Pokomo invadiu um vilarejo da etnia Orma, uma comunidade rural.

O deputado local Danson Mungatana afirmou que o ataque foi uma represália. Há dez dias, homens da etnia Orma mataram três Pokomo. 

Mais de 100 pessoas morreram desde 2001 em confrontos entre as duas comunidades relacionados com o acesso às terras e a um rio na mesma região.

Com AFP

    Leia tudo sobre: quêniapokomoorma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG