Brasileiro suspeito de assassinato de militares franceses é preso na Guiana

Oficiais franceses estavam em uma operação contra um garimpo ilegal quando foram mortos em uma emboscada no fim de junho

AFP | - Atualizada às

AFP

Um suspeito de pertencer ao grupo de um brasileiro envolvido no assassinato de dois militares franceses no fim de junho na Guiana Francesa foi detido e preso, informou nesta quarta-feira uma fonte judicial em Cayenne.

Saiba mais: Guiana Francesa busca garimpeiros brasileiros acusados de matar soldados

O brasileiro Ribamar Souza Brito foi indiciado por formação de quadrilha com objetivo de delinquir e ocultar autores de um crime, informou o promotor adjunto de Cayenne, Jean-Luc Lennon.

AFP
Ministro da Defesa da França participa de homenagem a soldados mortos em emboscada em 27 de junho na Guiana Francesa (03/07)

O homem, que pertenceria ao bando do Manoelzinho, apelido do também brasileiro Manoel Moura Ferreira, foi detido em 16 de agosto no garimpo de Bernardin, a menos de 20 km ao sul de Dorlin, sudoeste da Guiana Francesa.

Os investigadores suspeitam que Ribamar forneceu ajuda logística ou ocultou os autores dos homicídio dos seis garimpeiros ilegais mortos em janeiro passado, em Dorlin, crimes atribuídos ao bando de Manoelzinho.

Posteriormente, em 27 de junho, dois militares franceses que se encontravam em uma operação contra o garimpo ilegal na mesma zona foram mortos e outros três feridos, em um confronto com parte dos homens de Manoelzinho. Ele foi detido com um cúmplice em 27 de julho, em Macapá, pela polícia brasileira, e reconheceu sua participação no assassinato dos dois militares. Atualmente, ele responde à Justiça brasileira, que não o extraditará.

Do lado francês, a polícia continua buscando outros dois homens suspeitos de envolvimento com o grupo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG