Corpo de estudante brasileiro deve ser cremado na Nova Zelândia

Cerimônia em homenagem a João Felipe Martins de Melo, que morreu durante escalada, será realizada em escola em New Plymouth

iG São Paulo |

O corpo do estudante brasileiro João Felipe Martins de Melo, que morreu durante uma escalada na Nova Zelândia, deverá ser cremado no país. Uma cerimônia em homenagem ao jovem de 17 anos será realizada no sábado na escola onde o jovem de 17 anos estudava, em New Plymouth, cidade onde o acidente aconteceu.

Uma mensagem no site da Embaixada do Brasil em Welington em nome da família convida a comunidade local a comparecer à cerimônia, marcada para às 13h (horário local) na Spotswood College. Ainda não se sabe quando as cinzas serão transportadas para o Brasil.

Leia também: Mãe de estudante morto na Nova Zelândia agradece apoio

Felipe, de 17 anos, era natural de Fortaleza e fazia um intercâmbio no país desde janeiro deste ano. Ele havia decidido prorrogar a sua estada por mais três meses e tinha seu retorno para o Brasil previsto para outubro, de acordo com a sua família.

Em uma mensagem escrita em seu perfil no Facebook, no dia 10 de julho, o brasileiro agradecia a Deus e a seus pais pelas coisas boas que vinham acontecendo em sua vida, entre elas o prolongamento de sua viagem por mais três meses no país.

Dois tios do garoto foram a New Plymouth para acompanhar as buscas e devem retornar ao Brasil nesta semana. Segundo eles, os pais de Felipe, que ficaram no Brasil acompanhando as notícias da Nova Zelândia, pretendem visitar o local, mas não imediatamente. Na segunda-feira, a mãe de Felipe usou o Facebook para agradecer o apoio de familiares, amigos e desconhecidos durante o período de buscas.

O acidente envolvendo o brasileiro chocou a cidade e mobilizou toda a comunidade nas buscas. As equipes de resgate contaram com um amplo auxílio de voluntários. Um funcionário de uma usina de energia localizada ao lado do local do acidente localizou o corpo na manhã do último domingo, onze dias após o brasileiro ter desaparecido.

Felipe e o neozelandês Stephen Lewis Kahukaka-Gedye, ambos de 17 anos, caíram no mar no dia 8 de agosto, quando escalavam uma rocha no Parque de Paritutu, localizado na cidade de New Plymout.

O instrutor Bryce John Jourdain, de 42 anos, pulou na água para tentar resgatar os estudantes e também desapareceu. Eles faziam um passeio com 11 colegas de escola, acompanhados de dois instrutores de uma empresa de esportes de aventura.

As buscas pelos outros dois desaparecidos continuam. Até o momento, cerca de 50 policiais estiveram envolvidos no resgate que envolveu botes e helicópteros.

Duas investigações estão sendo feitas para investigar as circunstâncias do acidente. Uma conduzida pela polícia neozelandesa e outra pelo departamento do trabalho, mas ainda não há previsão de quando serão apresentadas as conclusões.

Com BBC Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG