Avião de general dos EUA é atingido por foguetes no Afeganistão

Martin Dempsey, Chefe de Estado-Maior do Exército americano, não estava perto da aeronave; Taleban assume responsabilidade pelo ataque

Reuters |

Reuters

Insurgentes dispararam dois foguetes contra a principal base aérea da Otan no Afeganistão e danificaram um avião usado pelo Chefe de Estado-Maior do Exército americano, Martin Dempsey, disse um porta-voz da organização nesta terça-feira. O general não estava a bordo no momento.

Leia também:  Câmera em capacete de soldado mostra batalha e resgate no Afeganistão

AP
O general Martin E. Dempsey se prepara para embarcar em CH-47 em Cabul, no Afeganistão (20/08)

Dempsey chegou ao país na segunda-feira em um avião de transporte C-17 que estava estacionado em um base aérea de Bagram, ao norte de Cabul, quando dois foguetes atingiram o local na noite de segunda-feira, ferindo levemente dois funcionários terrestres. 

"Ele não estava nem perto do avião. Achamos que foi uma tentativa de sorte", afirmou o porta-voz da Otan coronel Thomas Collins.

A aeronave estava sendo usada apenas temporariamente por Dempsey e sua equipe. Estilhaços dos foguetes também danificaram um helicóptero nas proximidades.

Dempsey, que foi ao país para conversar com comandantes da Otan e afegãos após uma série de recentes ataques cometidos por militantes disfarçados, estava dormindo em seu quartel quando os foguetes foram lançados, e depois deixou o país em outra aeronave.

"Ninguém ficou gravemente ferido no ataque", disse o Pentágono.

Um porta-voz do Taleban reivindicou a responsabilidade pelo ataque em uma mensagem de texto e negou que havia sido um ataque fortuito, dizendo que foi baseado em "informações precisas".

Antes de deixar o Afeganistão, Dempsey reuniu-se com seu colega afegão, o general Sher Mohammad Karimi, que levantou a questão dos ataques cometidos por militantes infiltrados, que mataram 10 soldados norte-americanos nas últimas duas semanas.

"No passado, éramos nós que pressionávamos para se certificar de que eles (afegãos) fariam mais", afirmou na segunda-feira. "Desta vez, sem avisar, quando eu encontrei o general Karimi, ele iniciou uma conversa sobre os ataques internos - e, mais importante, ataques internos não apenas contra nós, mas contra os afegãos, também."

    Leia tudo sobre: afeganistãoeuatalebanguerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG