Ex-agentes criticam Obama por divulgar dados sobre morte de Bin Laden

Grupo que se diz apartidário afirma que Casa Branca usou informações sobre a operação para fazer campanha, sem se preocupar com segurança

iG São Paulo | - Atualizada às

Ex-agentes da CIA (agência de inteligência americana) e das forças especiais dos Estados Unidos criticaram o presidente Barack Obama por ter divulgado dados sobre a operação que matou o criador da rede terrorista Al-Qaeda, Osama bin Laden , em maio de 2011.

Leia também: Morte de Bin Laden foi dia mais importante da presidência, diz Obama

AP
O presidente dos EUA, Barack Obama, discursa em Nova Orleans (25/07)

Em vídeo de 20 minutos divulgado na internet, o grupo de ex-oficiais afirma que a Casa Branca por ter divulgado informações secretas com o objetivo de dar impulso à campanha eleitoral de Obama, sem levar em consideração a segurança dos espiões e soldados americanos.

Eles acusam Obama de ter se apressado para tornar públicos os detalhes da operação que teve como objetivo matar Bin Laden, ao invés de "explorar plenamente o tesouro de informações" descobertas durante a missão no Paquistão.

O presidente democrata sempre negou que a Casa Branca esteja por trás de vazamentos de informações sobre o caso para a imprensa. Críticas similares foram feitas por seu rival nas eleições, o republicano Mitt Romney.

O grupo de ex-espiões e militares das forças especiais, chamado Opsec, afirma não ser partidário, mas alguns de seus membros são republicanos ativos e integrantes do movimento conservador 'Tea Party'.

Scott Taylor, ex-membro do comando de elite da Marinha (Seals), identificado como presidente do Opsec, disputou uma vaga ao Congresso pelos republicanos em Virginia, em 2010, e perdeu a eleição.

Com AFP

    Leia tudo sobre: obamaeuabin ladenmorte de bin ladeneleição nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG