Segundo governo venezuelano, suposto mercenário foi detido quando tentava entrar no país através da fronteira com a Colômbia

EFE

Funcionários da Embaixada dos Estados Unidos em Caracas visitaram nesta quarta-feira um cidadão americano na Venezuela, presumivelmente a pessoa detida há dez dias e identificada como um suposto "mercenário" pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez.

Leia também:  Venezuela anuncia prisão de suposto mercenário americano

"Nesta manhã o governo convidou-nos a visitar um detido, não sei onde exatamente, então duas pessoas de nossa seção consular foram encontrá-lo. Supomos que seja o mesmo", informou à agência EFE uma fonte da embaixada americana.

"Não sabemos exatamente (quem é) porque não nos deram nome", completou, ao assinalar que espera ter mais informação nas próximas horas.

A fonte detalhou que até o local se deslocaram o cônsul-geral e uma funcionária encarregada de assistência consular a americanos em Caracas. Além disso, acrescentou que ainda não sabem que informações poderão revelar do detido, uma vez que ele tem direitos como o da privacidade.

O presidente venezuelano anunciou na terça-feira que havia aceitado a solicitação do governo dos EUA para ligar para o cidadão americano, detido quando tentava ingressar ilegalmente na Venezuela.

Chávez informou no último dia 9 da detenção de um americano "quatro ou cinco dias" antes com aparência de "mercenário" que tentava entrar ilegalmente no país pela fronteira com a Colômbia e, pediu atenção para atos de desestabilização opositores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.