Segundo chanceler Ricardo Patiño, decisão sobre pedido de asilo ao fundador do WikiLeaks será anunciada na quinta-feira

Reuters

O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, disse nesta quarta-feira que o governo britânico ameaçou invadir a embaixada do país em Londres se o fundador do WikiLeaks , Julian Assange , não for entregue, e que a decisão sobre o pedido de asilo será anunciada na quinta-feira.

Advogados: Assange pode ser preso mesmo se o Equador lhe conceder asilo

Chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, em Quito, no Equador
AP
Chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, em Quito, no Equador

"Hoje nós recebemos uma ameaça do Reino Unido, uma ameaça clara e por escrito, de que eles poderiam invadir nossa embaixada em Londres se o Equador se recusar a entregar Julian Assange", disse Patiño, em Quito. 

Em comunicado, após se reunir com o presidente Rafael Correa, ele acrescentou ainda: "não somos uma colônia britânica".

O fundador do site WikiLeaks - que irritou os Estados Unidos em 2010, quando seu site publicou documentos diplomáticos secretos - é requerido pela Suécia para ser julgado por crimes sexuais.

"O governo do Equador já tomou uma decisão a respeito do asilo para o senhor Assange e a anunciará amanhã às 7h locais (9h no horário de Brasília)", declarou Patiño a jornalistas.

Assange permanece na Embaixada do Equador em Londres desde 19 de junho. O australiano disse que teme ser extraditado aos Estados Unidos porque acredita que ali sua vida corre perigo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.