Equador: Governo britânico ameaça invadir embaixada em busca de Assange

Segundo chanceler Ricardo Patiño, decisão sobre pedido de asilo ao fundador do WikiLeaks será anunciada na quinta-feira

Reuters |

Reuters

O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, disse nesta quarta-feira que o governo britânico ameaçou invadir a embaixada do país em Londres se o fundador do WikiLeaks , Julian Assange , não for entregue, e que a decisão sobre o pedido de asilo será anunciada na quinta-feira.

Advogados: Assange pode ser preso mesmo se o Equador lhe conceder asilo

AP
Chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, em Quito, no Equador

"Hoje nós recebemos uma ameaça do Reino Unido, uma ameaça clara e por escrito, de que eles poderiam invadir nossa embaixada em Londres se o Equador se recusar a entregar Julian Assange", disse Patiño, em Quito. 

Em comunicado, após se reunir com o presidente Rafael Correa, ele acrescentou ainda: "não somos uma colônia britânica".

O fundador do site WikiLeaks - que irritou os Estados Unidos em 2010, quando seu site publicou documentos diplomáticos secretos - é requerido pela Suécia para ser julgado por crimes sexuais.

"O governo do Equador já tomou uma decisão a respeito do asilo para o senhor Assange e a anunciará amanhã às 7h locais (9h no horário de Brasília)", declarou Patiño a jornalistas.

Assange permanece na Embaixada do Equador em Londres desde 19 de junho. O australiano disse que teme ser extraditado aos Estados Unidos porque acredita que ali sua vida corre perigo.

    Leia tudo sobre: equadorassangewikileakslondresreino unidoasilo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG