Republicanos ressaltam em vídeo que universitários não encontram trabalho e latinos empobrecem desde que Obama chegou ao poder, em 2009

EFE

A campanha presidencial do republicano Mitt Romney divulgou nesta quarta-feira um novo anúncio televisivo em espanhol no qual culpa o atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pela alta taxa de desemprego entre os hispânicos.

Campanha: Jovens querem mudar abordagens sociais do Partido Republicano

Romney conversa com secretário de imprensa Rick Gorka sobre campanha, durante voo partindo de Columbus, Ohio
AP
Romney conversa com secretário de imprensa Rick Gorka sobre campanha, durante voo partindo de Columbus, Ohio

O anúncio, intitulado "Não podemos mais", é uma resposta ao jargão da campanha eleitoral de Obama em 2008, "Sim, Nós podemos!", e assegura que a má gestão econômica do líder prejudicou a comunidade hispânica.

O comercial inclui o subtítulo "50% dos universitários não encontram trabalho", sobre um vídeo de Obama de 2008 no qual pronuncia em espanhol seu lema de então. Além disso, destaca que o desemprego entre os hispânicos está acima dos 10%, e que outros 2 milhões de latinos empobreceram nos EUA desde que Obama chegou ao poder, em janeiro de 2009.

Segundo números do Departamento de Trabalho, a taxa de desemprego no mês passado foi de 10,3 %, acima da taxa nacional de 8,3%.

"Podemos continuar assim?" e "Podemos permitir que os democratas sigam tomando tudo de nós?", indaga o anúncio.

Em campanha, Romney assegura em comunicado que quer chegar à presidência para criar empregos bem remunerados enquanto, segundo sua opinião, Obama "parece lutar pelo contrário".

Comentários

Em entrevista ao canal CBS, Romney criticou a série de anúncios com ataques pessoais e disse que Obama faz isso para criar "um sentido de inimizade, ciúme e raiva".

"Acho que (Obama) fará o que esteja a seu alcance para conseguir a reeleição. Espero que possamos ter um debate sobre nossas diferenças e contrastes sobre os assuntos de interesse público. Esses ataques pessoais são degradantes para o escritório da Casa Branca ", comentou.

"Penso que os comentários do vice-presidente Joe Biden simplesmente diminuem mais ainda a popularidade da Casa Branca", especificou Romney, ao referir-se às declarações de Biden em Danville, Virgínia, quando disse que as políticas reguladoras promovidas por Romney "colocarão cadeados nos pés dos americanos".

A menos de três meses do pleito do próximo dia 6 de novembro, ambas as campanhas acentuaram os ataques mútuos sobre as visões distintas de governo e suas políticas pela recuperação econômica, além de cortejar o apoio dos hispânicos, cujos votos serão decisivos em, pelo menos, nove Estados americanos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.