Ex-presidente argentino Fernando de la Rúa é julgado por corrupção

Ao lado de outros sete réus, ex-líder é acusado de subornar senadores em 2000; julgamento deve durar entre seis e oito meses

EFE |

EFE

O ex-presidente argentino Fernando de la Rúa começou a ser julgado nesta terça-feira junto a outros sete acusados de subornar senadores em 2000. Mais de 340 testemunhas serão ouvidas ao longo do processo, que durará entre seis e oito meses.

De la Rúa se sentou na primeira fila do banco dos réus e não fez nenhum comentário ao chegar no tribunal. A imprensa local informou que o ex-presidente contratou uma agência de publicidade para reforçar o trabalho de seus advogados.

AP
O ex-presidente da Argentina, Fernando de la Rúa, chega a tribunal em Buenos Aires

Colaboradores do ex-governante distribuíram um panfleto no qual De la Rúa diz que a acusação contra ele é "absurda e cheia de contradições". O texto diz que o próprio ex-presidente pediu a investigação dos fatos quando eles ocorreram.

Serão julgados outros sete antigos funcionários e legisladores, todos acusados de subornar senadores para garantir a aprovação de um reforma trabalhista do então governo De la Rúa. Todos eles negam a versão divulgada pelo ex-secretário do Senado Mario Pontaquarto, que afirmou ter recebido US$ 4,3 milhões de suborno.

Ao chegar ao tribunal, Pontaquarto disse que estava disposto a "corroborar os fatos, a contar a história realmente como foi e como se passou".

O panfleto distribuído pelos colaboradores do ex-presidente afirma: "Pontaquarto me incriminou sem provas, com um discurso baseado em contradições e declarações que nunca foram provadas. Que credibilidade pode ter este personagem? Nenhuma".

Se for considerado culpado, De la Rúa, que renunciou a seu cargo em dezembro de 2001 em meio a um conflito social e uma severa crise econômica, pode ser condenado a uma pena de até seis anos de prisão, assim como os outros acusados.

    Leia tudo sobre: argentinacorrupçãofernando de la rúa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG