Hispânicos reivindicam mudança no sistema para ter mais voz na cidade onde polícia matou dois homens latinos

Reuters

Manifestações civis sobre os tiros da polícia que mataram dois homens hispânicos dividiram a normalmente calma cidade de Anaheim, na Califórnia, mais conhecida por abrigar a Disneylândia, com pedidos renovados da crescente comunidade latina da cidade por uma voz mais ativa no governo local.

Leia também: Protestos apontam para problemas perto do 'lugar mais feliz da Terra'

O Conselho da Cidade rejeitou nesta semana por três votos a dois uma medida proposta para acabar com o sistema de votação geral e ter os membros do Conselho eleitos por distritos específicos, uma mudança que adeptos à ideia dizem que daria aos hispânicos mais voz na cidade de mais de 335 mil habitantes.

Os três membros do Conselho que se opuseram à medida, colocando a proposta na votação de novembro, disseram que eles queriam mais tempo para estudar alternativas ao sistema geral de votação.

Os latinos correspondem a cerca de 53% da população de Anaheim, acima de menos de 47% em 2000, segundo dados do censo dos Estados Unidos. Mas apenas três latinos já foram eleitos para o Conselho da Cidade, de acordo com a União Americana das Liberdades Civis do sul da Califórnia.

Os cinco integrantes do Conselho da Cidade de Anaheim, a maior cidade da Califórnia que ainda elege seus líderes numa base geral, são principalmente brancos, mas um membro do painel é da Índia e outro diz ter ascendência hispânica, como filha de um homem espanhol.

A cidade turística do Orange County foi manchete no mês passado quando começaram violentos protestos depois que dois homens hispânicos – um deles desarmado – foram mortos por tiros de policiais. Os protestos levaram a uma série de prisões e depredação de vitrines de lojas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.