Visita de líder sul-coreano a ilha que é disputada por vizinhos fez governo japonês convocar seu embaixador em Seul

O Japão anunciou neste sábado que levará uma disputa territorial com a Coreia do Sul à Corte Internacional de Justiça, depois de o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, fazer uma visita surpresa às ilhas em litígio nesta semana.

Alvo de disputa: Visita de líder sul-coreano a ilha faz Japão convocar embaixador

As ilhas, conhecidas como Takeshima no Japão e Dokdo na Coreia do Sul, ficam equidistantes da porção continental dos dois países, mas se acredita que contenham depósitos congelados de gás natural, com valor potencial de bilhões de dólares.

O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, visita as Ilhas Dokdo, disputadas com o Japão, que as chamam de Takeshima (10/8)
AP
O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, visita as Ilhas Dokdo, disputadas com o Japão, que as chamam de Takeshima (10/8)

Na sexta-feira, Lee se tornou o primeiro líder sul-coreano a viajar às ilhas , que vêm sendo um persistente ponto nevrálgico nas relações entre os dois países.

"O Japão decidiu agir pacificamente para resolver a questão, levando-a à Corte Internacional de Justiça", disse o porta-voz da chancelaria japonesa, Koichiro Gemba, em comunicado por e-mail neste sábado.

"Ao ver a República da Coreia adotar tal ação inaceitável, nós acreditamos que deixar para o mundo o caso do Japão em relação a Takeshima, através da Corte, é mais importante, levando em consideração as relações como um todo entre o Japão e a República da Coreia."

O momento e o conteúdo da ação terão de ser definidos, mas uma ação será adotada em um futuro "não muito distante", disse ele.

O Japão chamou seu embaixador na Coreia do sul na sexta-feira, depois da visita de Lee às ilhas.

Leia também: Tensão marca 59º aniversário do fim da Guerra da Coreia

Autoridades sul-coreanas disseram que o objetivo da visita era destacar a importância das ilhas como reserva natural, e não causar problemas.

Recusa

A agência de notícias estatal da Coreia do Sul, Xinhua, divulgou neste sábado a informação de que o governo do país se recusa a aceitar as movimentações do Japão para internacionalizar a disputa pelas ilhas. 

O presidente sul-coreano observou que o objetivo de Tóquio é "fazer de Dokdo uma disputa internacional", acrescentando que o posicionamento do governo de Seul é de não aceitar tal movimento, "pois Dokdo é claramente nosso território", conforme informou a agência sul-coreana de notícias Yonhap.

É necessário que as duas partes concordem em levar a questão para o Tribunal Internacional de Justiça (ICJ). A Coreia do Sul tem controlado as ilhas desde a década de 1950.

Com Reuters e Agência Estado



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.