Segundo a mídia estatal chinesa, Gu Kailai, casada com Bo Xilai, disse que um 'colapso mental' a levou a matar empresário britânico

A mulher de Bo Xilai , político afastado do Partido Comunista Chinês, confessou ter matado um empresário britânico, afirmou a agência oficial chinesa nesta sexta-feira. De acordo com a Xinhua, Gu Kailai disse que um "colapso mental" a levou a matar Neil Heywood, encontrado morto em um hotel em novembro de 2011.

Gu foi julgada pela acusação de assassinato durante uma única audiência que durou cerca de sete horas e foi realizada na quinta-feira. O motivo de o julgamento ter começado e acabado tão rápido foi o fato de Gu não ter contestado a acusação.

O veredicto ainda não foi anunciado, mas, segundo a Xinhua, a mulher de Bo Xilai prometeu "aceitar e encarar calmamente" qualquer sentença. Mais cedo, quatro policiais também julgados pelo caso admitiram, diante do tribunal, que manipularam e esconderam evidências que ligavam Gu ao assassinato do britânico.

Gu Kailai, mulher de Bo Xilai, durante seu julgamento em Hefei, na China (09/08)
Reuters
Gu Kailai, mulher de Bo Xilai, durante seu julgamento em Hefei, na China (09/08)

Inicialmente autoridades locais disseram que Heywood morreu após beber em excesso, mas em abril o governo anunciou que estava investigando o envolvimento de Gu no caso. Em março, Bo Xilai, até então um político em ascensão cotado para integrar o novo comitê central, foi afastado de seus cargos no Partido Comunista Chinês. Ele era a principal autoridade política na região de Chongqing, a mesma onde o empresário foi morto.

A queda de Bo começou quando o então chefe da polícia de Chongqing, Wang Lijun, procurou o consulado dos Estados Unidos para supostamente pedir asilo político após uma discussão com Bo sobre a investigação do caso Heywood. O caso ganhou repercussão e, aos poucos, ganhou novos desdobramentos até chegar às acusações contra Gu.

De acordo com um comunicado do tribunal, emitido na quinta-feira, a promotoria afirmou que Gu tinha uma disputa de negócios com Heywood e acreditava que ele “ameaçava a segurança de seu filho”. Por isso, decidiu matá-lo.

Ainda de acordo com a promotoria, Gu conseguiu que Heywood viajasse de Chongqing para Pequim, acompanhado de Zhang. Ela encontrou o britânico em um hotel na noite de 13 de novembro, onde ingeriram chá e bebidas alcoólicas. “Quando Heywood começou a dar sinais de intoxicação, vomitou e pediu água, ela colocou em sua boca um veneno previamente preparado e que ela tinha ordenado que Zhang levasse ao local”, afirmou o comunicado. “Os fatos do crime estão claros e baseados em amplas evidências.”

Gu, que é a segunda mulher de Bo, estudou Direito na conceituada Universidade de Pequim antes de abrir o seu próprio escritório de advocacia. Segundo uma fonte próxima à família, Gu, que tem cerca de 52 anos, encerrou as atividades de sua firma quando seu marido se tornou dirigente do Partido Comunista de Chongqing, de modo a não dar a impressão de que ela estava tentando se beneficiar de sua posição.

Ela conheceu Bo Xilai em 1984, quando ele era o secretário do Partido Comunista no condado de Jin, na província de Liaoning. O filho do casal, Bo Guagua , frequentou a escola de elite britânica Harrow, antes de cursar a Universidade de Oxford. Ele agora estuda na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Com AP e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.