Egito prende nove suspeitos de ataque contra oficiais no Sinai

Governo egípcio reabriu temporariamente fronteira do país com Gaza para a passagem de palestinos

iG São Paulo | - Atualizada às

Forças de segurança do Egito prenderam nove suspeitos de terem participado do ataque contra forças egípcias na Península do Sinai , que deixou 16 mortos no domingo.

Pós-ataque no Sinai:  Presidente do Egito demite chefe de inteligência

Os suspeitos, de nacionalidade egípcia, foram detidos na noite de quinta-feira no Sinai por patrulhas conjuntas do Exército e da polícia.

AP
Veículos militares em Al Arish, no norte do Sinai (9/8)

Segundo a agência estatal egípcia Mena, um deles era um homem com antecedentes criminais que já estava sendo procurado por terrorismo e posse ilegal de armas.

A onda de detenções faz parte de uma operação militar lançada na quarta-feira para expulsar os grupos armados da região após o ataque que matou 16 oficiais egípcios em um posto de controle próximo à fronteira com a Faixa de Gaza.

A agência de notícias informou, além disso, que as tropas egípcias usam veículos blindados, helicópteros de combate, tanques e lançadores de foguetes na região.

A agência informou ainda que a promotoria libertou nesta sexta-feira um canadense e dois japoneses que haviam viajado à cidade de El Arish, capital da província de Sinai do Norte, após comprovar que não estavam vinculados com organizações extremistas islâmicas ou com os últimos ataques.

Os três estrangeiros haviam levantado suspeitas em um posto de controle de El Arish quando foi descoberto que um deles carregava uma câmara fotográfica com imagens de blindados militares e alguns carros incendiados. No entanto, as autoridades confirmaram que essas três pessoas haviam entrado no país de maneira legal e não possuíam relação com os recentes fatos do Sinai.

Fronteira

Também nesta sexta-feira, o Egito reabriu temporariamente nesta sexta-feira a fronteira do país com Gaza pela primeira vez desde o ataque de domingo.

Segundo autoridades, a fronteira ficará aberta até sábado, quando voltará a ser fechada. Não há previsão para a reabertura definitiva da fronteira na cidade de Rafah.

De acordo com a agência egípcia, a reabertura tem como único objetivo permitir o retorno de alguns palestinos que se encontravam no lado egípcio para Gaza.

Após o ataque de domingo contra forças egípcias no Sinai, a passagem de Rafah só foi aberta para "casos de ajuda humanitária".

A fronteira, utilizada normalmente por centenas de palestinos, é a única saída dos territórios ocupados que não é controlada por forças israelenses.

AP
Palestinos andam perto da fronteira com Gaza, em Rafah

*Com EFE

    Leia tudo sobre: egitofronteirasinaiataquepalestinosrafah

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG