Amigos e parentes prestam homenagem a vítimas de ataque a templo sikh nos EUA

Autoridades e policiais estiveram presentes em cerimônia que tem músicas em dialeto da Índia e prevê leitura completa do livro sagrado do sikhismo

iG São Paulo | - Atualizada às

Amigos e parentes prestaram nesta sexta-feira sua última homenagem aos seis mortos em um templo religioso sikh , em ação de um atirador supremacista branco no domingo em Oak Creek, no Estado americano de Wisconsin.

FBI:  Homem que abriu fogo em templo nos EUA se suicidou com tiro na cabeça

Um dia depois de os frequentadores poderem voltar ao Templo Sikh de Wisconsin pela primeira vez desde o massacre de domingo, uma cerimônia fúnebre contou com a presença do secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, e o governador de Wisconsin, Scott Walker.

AP
Parentes das vítimas são consoladas em cerimônia fúnebre no templo de Wisonsin

Depois da fala das autoridades, autoridades religiosas lerão o livro sagrado do sikhismo, religião criada na Índia que combina hinduísmo e islã. O rito chamado “Akhand Path” prevê a leitura de todo o livro e deve levar cerca de 48 horas.

“Queremos prestar homenagem aos espíritos que ainda estão lá”, disse Harpreet Singh, sobrinho de uma das vítimas.

Um buraco de bala na porta que leva ao principal salão de orações foi deixado sem reparos como memória às vítimas do atirador.

Os parentes e amigos das vítimas, a maioria deles americanos de origem indiana, assistiram a imagens projetadas em um telão dos seis caixões dispostos no ginásio de uma escola próxima. Os presentes consolaram as famílias das vítimas.

Além das imagens, discursos e orações, músicos sikh cantaram ritmos no dialeto do Estado de Punjab, que fica no noroeste da Índia. Um deles fazia pausas para traduzir algumas letras. “Querido Deus, o senhor me deu este corpo e esta alma. O corpo faz o que o senhor quiser que eu faça. O senhor toma essa alma, esta é sua alma”, ele traduziu.

Dezenas de policiais também estavam presentes à cerimônia e a assistiram de pé.

Investigadores da polícia americana talvez nunca saibam ao certo por que Wade Michael Page, 40 anos, escolheu atacar devotos do sikhismo. O veterano do Exército americano abriu fogo com uma pistola 9 mm e deixou uma mulher e cinco homens mortos, além de dois feridos.

AP
Parentes e amigos choram por vítimas em ataque a templo em Oak Creek

*Com AP

    Leia tudo sobre: euasikhsikhismoatiradorataque em oak creek

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG