Blecaute atinge 400 mil residências no país; nas Filipinas, águas começam a ceder após enchente que causou 19 mortes

AFP

O tufão Haikui atingiu o leste da China nesta quarta-feira, com ventos com velocidade acima de 110 km/h, provocando a retirada de quase 2 milhões de moradores da região e deixando mais de 400 mil residências sem luz.

Tufão provocou destruição e abriu cratera em estrada no Condado de Xiangshan
AP
Tufão provocou destruição e abriu cratera em estrada no Condado de Xiangshan






Mais de 1,5 milhão de moradores na província de Zhejiang, ao leste do país, e 252 mil habitantes da periferia de Xangai foram retirados após a chegada do tufão no início da manhã, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

Mais de 500 voos domésticos e internacionais que decolam e pousam de dois aeroportos de Xangai, Hongqiao e Pudong, foram cancelados a partir das 10h30 do horário local (23h30 horário de Brasília), afirmou a Autoridade Aeroportuária de Xangai em sua conta no Twitter.

Nenhum navio teve permissão para entrar ou sair dos portos de Xangai, o mais movimentado do mundo em volume de contêineres, desde terça-feira à noite, informou um oficial da Autoridade Marítima de Xangai.

À noite, espera-se que o centro do tufão vá para o noroeste do país. O Haikui forçou a retirada de quase 270 mil moradores nas Filipinas e fez com que as autoridades fechassem escolas, mercados financeiros e escritórios.

Filipinas

Os filipinos lutam contra as enchentes provocadas por chuvas de monções que deixaram aos menos 19 mortos e criaram um verdadeiro caos na capital do país, Manila.

As águas que tomaram as ruas abaixaram nesta quarta-feira, com equipes focando seus esforços no resgate de moradores ilhados e na limpeza da cidade.

De acordo com o governo, as inundações afetaram 1,2 milhão de moradores. Por causa disso, o governo suspendeu aulas e fechou prédios do governo. 

Com AP


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.