Segundo FBI, homem que matou seis adeptos do sikhismo em Wisconsin atirou contra si mesmo após ser baleado por um policial

O governo americano afirmou nesta quarta-feira que o autor do ataque a um templo sikh em Oak Creek , nos EUA, cometeu suicídio. Até então, acreditava-se que Wade Michael Page , um ex-militar americano de 40 anos, tinha sido morto pela polícia após o ataque a tiros, que deixou seis vítimas.

De acordo com a agente do FBI (polícia federal americana) Teresa Carlson, Page morreu com um tiro na cabeça, disparado por ele mesmo após ter sido baleado por um policial.

A agente disse que a investigação ainda não conseguiu definir o motivo do ataque - algo que talvez, segundo ela, nunca seja possível.

Ex-namorada presa

Nesta quarta-feira, autoridades disseram que a ex-namorada de Page foi presa por porte ilegal de armas, mas que não há indícios de que ela esteja envolvida no ataque.

O relacionamento entre Misty Cook, uma estudante de enfermagem de 31 anos, e Page acabou este ano. Segundo autoridades, Misty foi encontrada em posse de uma arma, o que não é permitido pelo fato de ela ter histórico criminal, tendo sido condenada por fugir e enganar um policial de trânsito.

Após o ataque de Page, Misty foi procurada por um jornal local, mas se recusou a fazer comentários. "Se pudesse dizer algo para aliviar a dor das vítimas e suas famílias, diria com prazer. Infelizmente, as palavras não chegam nem perto disso", escreveu, em um email para o diário.

O ataque aconteceu enquanto os Estados Unidos ainda se recuperavam do choque causado por um ataque a um cinema que deixou 12 mortos em Aurora, no Colorado, em 20 de julho, durante a estreia do filme " Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge ".

James Holmes, 24 anos, responderá a 142 acusações pelo ataque - sendo 12 de assassinato em primeiro grau, 12 de assassinato com extrema indiferença e 116 de tentativa de assassinato.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.