Forças do Egito bombardeiam Sinai em operação contra militantes islâmicos

Ataque em resposta a morte de policiais na fronteira é o primeiro do governo egípcio na região desde 1973

iG São Paulo | - Atualizada às

A aviação egípcia bombardeou nesta quarta-feira alvos próximos da fronteira com Israel, enquanto soldados invadiram aldeias atrás de militantes islâmicos suspeitos de matar 16 policiais egípcios na região no domingo. Há relatos não confirmados oficialmente de que os ataques deixaram 20 mortos.

Leia também:  Egito começa a fechar túneis que levam a Gaza após ataque na fronteira

Reuters
Soldados israelenses montam guarda na região do Sinai, que faz fronteira com o Egito

Os bombardeios em torno da localidade de Sheikh Zuwaid, a 10 quilômetros da Faixa de Gaza, ocorreram após uma noite de confrontos entre homens armados e forças de segurança em vários postos de controle no norte da região egípcia do Sinai.

Foi a primeira vez que o Egito bombardeou o Sinai desde 1973, quando travou uma guerra com Israel pelo controle da região. Um acordo de paz assinado em 1979 limita a presença dos egípcios na península.

No domingo, homens armados mataram 16 policiais e em seguida cruzaram a fronteira e fugiram para Israel.

As forças israelenses disseram ter matado alguns deles - e tanto Israel quanto o Egito culparam militantes islâmicos pelo ataque. A Irmandade Muçulmana egípcia, por sua vez, atribuiu a ofensiva ao Mossad , o serviço secreto israelense.

Os confrontos na desértica região fronteiriça aumentaram desde a revolução que derrubou o presidente egípcio Hosni Mubarak , em fevereiro de 2011.

O novo presidente, o político islâmico moderado Mohammed Morsi , no cargo desde junho, vem tentando acalmar as preocupações israelenses, prometendo recolocar o Sinai sob o controle do governo. Por outro lado, Mursi também tem buscado uma relação mais amistosa com o grupo islâmico palestino Hamas, que governa Gaza.

Os redutos dos militantes ficam no norte do Sinai, bem distantes dos balneários frequentados por estrangeiros no sul da península, que são uma importante fonte de divisas para o país.

Testemunhas em Sheikh Zuwaid disseram ter visto dois aviões militares sobrevoarem a área e escutado explosões na manhã de quarta-feira. Outras testemunhas perto da cidade viram três carros bombardeados.

Soldados entraram na aldeia de Al Toumah, 20 quilômetros ao sul, depois de o Exército receber informações de que militantes islâmicos estavam lá, disseram fontes militares.

Um morador disse ter visto helicópteros do Exército perseguindo veículos que fugiam de Al Toumah e ouvido disparos de foguetes. Os ocupantes dos veículos reagiram com disparos de metralhadoras, segundo ele.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: egitopenínsula do sinaisinaiisraeloriente médiogaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG