Titulares da Defesa e do Interior são afastados por resposta 'fraca' a supostos ataques do Paquistão e suposto envolvimento em casos de corrupção

O Parlamento do Afeganistão aprovou neste sábado a destituição de dois dos principais ministros do país, aliados do presidente Hamid Karzai. Foram destituídos o ministro da Defesa, Abdul Rahim Wardak, e o do Interior, Bismullah Khan Mohammadi.

Leia também:  Entenda por que o Afeganistão é estratégico

De acordo com os parlamentares, os dois ministros foram responsáveis por uma resposta “fraca” a ataque na fronteira que o Afeganistão atribui ao Exército paquistanês.

 O Parlamento questionou o motivo de os afegãos não terem respondido com uma ofensiva militar e também citaram acusações de corrupção.

Wardak foi afastado por 146 votos a favor e 72 contra. A votação de Mohammadi terminou em 126 a 90. Eram necessários 124 votos para aprovar as medidas. O presidente da Câmara Baixa do Parlamento, Abdul Raouf Abrahimi, fez um apelo para que Karzai escolha novos nomes para os cargos com urgência.

Karzai divulgou um comunicado notando que a Constituição do Afeganistão permite que o Parlamento desqualifique ministros e dizendo que tomará uma decisão em breve.

O governo dos Estados Unidos, que lidera uma coalizão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no país, não fez comentários.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.