Gays fazem 'beijaço' em protesto contra rede de fast-food americana

Protesto é organizado após impostos revelarem que rede Chick-fil-A fez doações a grupos conservadores contrários ao casamento homossexual

iG São Paulo | - Atualizada às

Gays e lésbicas promoveram um "beijaço" diante das lanchonetes Chick-fil-A ao redor dos Estados Unidos em protesto contra a oposição da rede de fast-food ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Mais de 14 mil manifestantes participaram do "Dia Nacional do Beijo entre Pessoas do Mesmo Sexo" no Chick-fil-A na sexta-feira, num evento convocado pela internet.

Leia também: França aprovará casamentoe adoção por casais homossexuais em 2013

AP
Americanos observam beijo de Thear Grabiec e Sarah Shovan em frente à loja do Chick-fill-A em shopping de Toledo, Ohio (03/08)

"Estou aqui porque sou gay e não acho certo apoiar qualquer forma de ódio", disse o designer de interiores Bryan McIlroy, 35 anos, que segurava uma placa que dizia "Apoie o amor e não o ódio" em frente ao restaurante em Hollywood, Los Angeles.

Com mais de 1,6 mil lojas, principalmente no sul dos Estados Unidos, a empresa familiar Chick-fil-A é famosa por não abrir aos domingos e vender sanduíches de frango e nuggets. Ela virou alvo de críticas após registro de impostos mostrarem doações milionárias a grupos conservadores cristãos que fizeram vigorosas campanhas contra o casamento gay.

Eleição nos EUA: Ao apoiar casamento gay, Obama assume risco calculado

O presidente da Chick-fil-A, Dan Cathy, declarou a uma publicação batista no mês passado que os Estados Unidos estão se arriscando "ao julgamento de Deus" ao reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Legal em seis Estados americanos, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é um tema importante e polêmico no país, principalmente em um ano eleitoral. O presidente Barack Obama se declarou a favor , enquanto seu rival republicano, Mitt Romney, se opõe ferrenhamente.

AFP
Corri Riczu e Kati Sawatske se beijam em frente ao restaurante Chick-fil-A em Hollywood, Los Angeles (03/08)

Os ativistas também instalaram uma barraca do beijo entre pessoas do mesmo sexo em frente ao restaurante Chick-fil-A em Dallas, no Texas. "Queremos mostrar ao país e à empresa Chick-fil-A que nosso amor é tão válido, tão real e tão bom como o amor heterossexual", disse a organizadora Carly McGehee. "E merecemos o direito de ser protegidos pela lei, de construir nossas famílias e amar quem quisermos, sem importar o gênero".

Leia também:  Pastor dos EUA causa indignação ao sugerir prender gays como gado

Em declaração divulgada na sexta-feira, a Chik-fil-A pareceu não ter se abalado com o "Dia Nacional do Beijo entre Pessoas do Mesmo Sexo", dizendo que apreciam "todos os clientes" e que estavam felizes em servi-los a qualquer momento.

"Nosso objetivo é simples: oferecer boa comida, hospitalidade genuína e ter uma influência positiva sobre todos que entrarem em contato com a Chick-fil-A", declarou Steve Robinson, vice-presidente executivo para o marketing.

Reuters
Eduardo Cisneros e Luke Montgomery se beijam em Hollywood (03/08)

Dois dias antes, a Chick-fil-A teve vendas recordes quando os clientes fiéis compareceram em massa ao "Dia da Apreciação ao Chick-fil-A", promovido pelo político republicano e apresentador de talk-show Mike Huckabee em apoio às críticas contra o casamento gay

Em Atlanta, Geórgia, onde fica a matriz da Chick-fil-A, a dona de um pequeno negócio, Marci Alt, convidou o chefe da companhia para jantar com sua mulher, Marlysa, e seus dois filhos, para experimentar a "vida normal" que eles vivem.

"Nos importamos com a fé, com nossa família, nossos amigos e nossa comunidade e acreditamos que há espaço para transformar esse debate em diálogo", afirmou ela, se dirigindo ao presidente da Chick-fil-A Cathy no Change.org.

Com AFP

    Leia tudo sobre: euacasamento gayobamachick fill ahomossexuaisdireitos homossexuaisigay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG