Premiê de Israel diz que alertas dos EUA não são suficientes para deter o Irã

Em visita de chefe do Pentágono a Jerusalém, Netanyahu disse que República Islâmica não crê na determinação da comunidade internacional em parar seu programa nuclear

iG São Paulo | - Atualizada às

O primeiro-ministro israelense, Benajmin Netanyahu, disse nesta quarta-feira que os alertas dos Estados Unidos e garantias sobre opções militares não são suficientes para deter o Irã no desenvolvimento de armas nucleares.

Em Israel: Panetta diz que opção militar deve ser último recurso contra o Irã

Após se reunir com o secretário da Defesa americano, Leon Panetta , Netanyahu disse que os iranianos acreditam que a comunidade internacional “não tem determinação” em parar o Irã.

AP
Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu (E), esteve com o chefe do Pentágono, Leon Panetta, nesta quarta-feira em Jerusalém

A declaração de Netanyahu é feita depois de Panetta ter dito, ao lado do ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, que uma opção militar deve ser a última alternativa contra o programa nuclear iraniano.

“O regime iraniano acredita que a comunidade internacional não tem determinação para acabar com seu programa nuclear”, disse Netanyahu na residência do primeiro-ministro em Jerusalém.

EUA: Obama anuncia novas sanções contra o Irã

Apesar de a República Islâmica alegar que seu programa tem fins pacíficos, potências ocidentais e a Organização das Nações Unidas (ONU) afirmam que o Irã trabalha para ter armas nucleares .

Ao chefe do Pentágono, Netanyahu disse: “O senhor mesmo disse há alguns meses que quando todas as opções falhassem, os EUA agiriam. Mas essas declarações também não convenceram os iranianos a parar seu programa.“

“Mas isso tem de mudar, e tem de mudar rápido porque o tempo para resolver isso de forma pacífica está se esgotando.”

Mais cedo, Panetta enfatizou a importância das sanções econômicas e pressões exercidas por diversos países para que o Irã abandone seu programa nuclear e lembrou que o presidente americano, Barack Obama, deixou claro que impedir o Irã de ter armas nucleares é uma prioridade para a segurança nacional dos EUA e que, por isso, todas as opções estão sobre a mesa.

O ministro da Defesa de Israel, por sua vez, afirmou que a possibilidade de o regime iraniano renunciar a seu programa nuclear é extremamente pequena e reafirmou que a "última decisão" sobre um eventual ataque israelense contra o Irã será responsabilidade unicamente do governo israelense.

EUA

Na terça-feira, o presidente americano, Barack Obama, ordenou novas sanções econômicas contra o setor de energia iraniano, assim como algumas empresas financeiras.

A visita de Panetta ocorre no momento em que o governo Obama anuncia uma ajuda militar no valor de US$ 70 milhões para expansão do sistema antimísseis Domo de Ferro.

No fim de semana, o candidato republicano à Casa Branca e rival de Obama, Mitt Romney, também esteve com autoridades israelenses. Ele acusou o governo Obama de não dar apoio suficiente a Israel.

*Com BBC

    Leia tudo sobre: israelirãeuapanettanetanyahuprograma nucleardefesasanções

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG