Irritado, assessor de imprensa de Romney xinga repórteres na Polônia

Quando jornalistas tentaram questionar candidato sobre comentários polêmicos, Rick Gorka respondeu dizendo 'vão à merda' e 'enfie'

iG São Paulo | - Atualizada às

O assessor de imprensa do candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney , perdeu o controle e xingou repórteres que acompanhavam a visita do candidato ao Túmulo do Soldado Desconhecido em Varsóvia, na Polônia, nesta terça-feira.

Quando jornalistas tentaram questionar Romney sobre comentários polêmicos feitos durante seu giro internacional, que incluiu Inglaterra e Israel, o assessor Rick Gorka respondeu com agressividade, usando a expressão “kiss my ass”, que poderia ser traduzida como “vá à merda”. Gorka também disse “shove it” (“enfie”) a um repórter. Horas depois, ligou para alguns deles e se desculpou.

Leia também: Palestinos criticam Romney por falar em superioridade cultural de Israel

Reuters
O candidato republicano à presidência dos EUA, Mitt Romney, coloca flores no Túmulo do Soldado Desconhecido,em Varsóvia, na Polônia

De acordo com a rede americana CNN, o incidente aconteceu quando Romney se dirigia a seu carro, após o término da visita ao monumento. Os jornalistas tentaram questioná-lo sobre as polêmicas de seu giro internacional: ele pôs em dúvida a organização das Olimpíadas de Londres , chamou Jerusalém de capital de Israel e disse que os palestinos são culturalmente inferiores aos israelenses.

“O senhor está preocupado com alguns dos deslizes da sua viagem?”, perguntou o repórter da CNN. “O senhor tem algo a dizer aos palestinos?”, questionou o do The New York Times. “E as suas gafes?”, disse o jornalista do The Washington Post.

Romney ignorou as perguntas e Gorka respondeu: “Vão à merda. Esse é um local sagrado para o povo polonês. Mostrem algum respeito.”

Depois, quando um jornalista do site Politico perguntou o motivo de Romney só ter respondido três perguntas dos repórteres que o acompanharam durante toda a viagem, Gorka disse: "Enfie".

Veja o vídeo da CNN que mostra Romney ignorando repórteres (em inglês):

Na segunda-feira, Romney disse a doadores judeus que sua cultura era responsável pelo sucesso econômico de Israel em contraste com os vizinhos palestinos.

Os palestinos reagiram com ultraje e disseram que Romney ignorou a história de ocupação dos territórios palestinos por Israel e os restritos controles sobre o acesso e a movimentação dos residentes na Cisjordânia. Ele também não reconheceu o bloqueio econômico imposto por Israel sobre a Faixa de Gaza, que é controlada pelo grupo militante islâmico Hamas.

No domingo, Romney já havia causado controvérsia ao dizer, em um discurso, que Jerusalém era capital de Israel, ignorando a reivindicação palestina de ter a parte oriental da cidade como capital de um eventual futuro Estado. Israel capturou Jerusalém Oriental na Guerra dos Seis Dias, em 1967. Como vários outros países, os EUA não reconhecem a incorporação e, por isso, localizam sua embaixada em Tel Aviv.

O mal-estar em Londres foi causado quando Romney apontou problemas organizacionais ‘desconcertantes’ nas Olimpíadas. “As histórias sobre falta de pessoal nas empresas de segurança privada, a suposta greve dos funcionários de imigração e alfândega, tudo isso obviamente não é muito encorajador”, afirmou Romney, que foi responsável pelas Olimpíadas de Inverno de South Lake City, nos EUA, em 2002. “É difícil saber o que vai acontecer.”

Durante uma reunião com premiê britânico, David Cameron, Romney voltou a fazer comentários sobre as Olimpíadas. “É impossível não acontecer absolutamente nada de errado”, disse. “É claro que alguns erros vão acontecer às vezes, mas todos serão ofuscados pelas extraordinárias demonstrações de coragem, caráter e determinação dos atletas”.

Em resposta, Cameron disse aos jornalistas que Romney e outras pessoas logo teriam a certeza de que “o Reino Unido consegue cumprir o que promete”.

Viagens ao exterior estão se tornando parte do processo eleitoral americano. Em 2008, tanto o democrata Barack Obama, atual presidente em busca de um novo mandato, quanto seu rival, o senador John McCain, visitaram outros países.

Com AP, BBC e informações da CNN

    Leia tudo sobre: romneyeleição nos euaeuarepublicanospolônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG