Segundo jornal Guardian, nova organização inclui IRA Autêntico e planeja aumentar número de ataques contra forças de segurança e contra outros alvos britânicos na região

EFE

Três dos quatro grupos dissidentes do inativo Exército Republicano Irlandês (IRA), opostos ao processo de paz na Irlanda do Norte, anunciaram nesta sexta-feira a formação de uma nova organização para prosseguir com a luta armada.

Jubileu de Diamante:  Elizabeth 2ª e ex-dirigente do IRA têm encontro histórico em Belfast

Em comunicado enviado ao diário britânico The Guardian, a nova organização terrorista assinala que criou uma "estrutura unificada sob um só comando" para servir "como um Exército Republicano Irlandês".

O grupo armado se nutre principalmente de membros do IRA Autêntico, separado do IRA em 1997 e responsável um ano depois pelo atentado de Omagh - que deixou 29 mortos -, enquanto ficou de fora o IRA Continuidade, o outro grande grupo dissidente.

A coalizão se completa com voluntários da Ação Republicana Contra as Drogas (RAAD), que opera na cidade de Derry, e de um grupo de facções republicanas independentes localizadas em Belfast e zonas rurais, conhecido como Óglaigh na hÉireann.

Segundo o Guardian, entre os três estão "várias centenas" de efetivos, incluídos membros do inativo IRA em Derry. A nova organização, aponta o diário, deverá unir forças para aumentar o número de ataques contra as forças de segurança e outros alvos britânicos na região.

'Bloody Sunday': Reino Unido indenizará parentes de vítimas de Domingo Sangrento

"Nos últimos anos, o estabelecimento de uma Irlanda livre e independente sofreu contratempos por causa do fracasso da liderança do nacionalismo irlandês e da fratura interna do republicanismo", diz o comunicado.

Com essas palavras, o grupo faz referência às divisões criadas no movimento republicano desde que o antigo braço político do IRA, o Sinn Féin, decidiu abandonar as armas e perseguir seus objetivos por meios democráticos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.