Itália exumará restos do herói da unificação Giuseppe Garibaldi

Processo, que busca comparar material genético enterrado com o dos descendentes, deve definir se restos passam por outro tipo de conservação ou se serão cremados

EFE |

EFE

O Ministério da Cultura da Itália iniciará em setembro o processo de exumação dos restos do grande herói da unificação do país, Giuseppe Garibaldi, que foi sepultado na Ilha Caprera, ao norte de Sardenha.

O objetivo da iniciativa é cumprir a vontade do famoso general italiano, nascido em Nice (França) e enterrado na pequena ilha do arquipélago de La Maddalena, que deixou por escrito o desejo que seu corpo fosse cremado e suas cinzas, enterradas.

AP
Garibaldi também era conhecido como o 'Herói dos Dois Mundos' por causa das expedições militares na Europa e na América do Sul

Garibaldi foi embalsamado, "contra sua vontade, já que sempre disse que queria ser incinerado e enterrado segundo precisas instruções", explicou nesta quinta-feira sua bisneta, Anita Garibaldi.

A bisneta acrescentou que "há sinais evidentes, que fazem pensar" que o túmulo de seu bisavô foi aberto nestes 130 anos, e apontou a possibilidade de que, inclusive, os restos de Giuseppe Garibaldi não estejam no lugar onde acredita-se que foram enterrados.

A exumação, aprovada há alguns meses pelas autoridades italianas coincidindo com o 150º aniversário da unificação, quer comparar o material genético enterrado com o dos descendentes e, talvez, aplicar um novo tratamento que permita uma melhor conservação do corpo.

Estado do corpo

Para o presidente do comitê ministerial encarregado dos trabalhos, Silvano Vinceti, há grande possibilidade de que os restos mortais estejam em um estado pior do que o previsto porque o corpo do revolucionário foi embalsamado "tarde" e de forma "mal feita", e não seria estranho que tivesse acabado "pulverizado".

Segundo Vinceti, a dificuldade será determinar, caso os restos sejam realmente encontrados, a escolha entre um novo tratamento dos restos mortais ou a cremação, como era a vontade do próprio Garibaldi.

Anita, que dedicou sua vida à memória do bisavô, acredita que a relevância de Giuseppe Garibaldi para os italianos é tanta que a questão mereceria ser discutida em um referendo. O revolucionário também é conhecido como "Herói dos dois Mundos", em referência a suas lutas tanto na Europa quanto na América do Sul.

Anita Garibaldi afirmou também que desde 1932, ano em que seu pai viu os restos do avô e determinou que não estavam em boas condições, não foi comprovado se continuam lá ou em qual estado.

Outro dilema é se seria conveniente, no caso de os restos estarem suficientemente conservados, uma mudança para o Panteão de Roma, lugar onde repousam os grandes homens da Itália, entre eles os reis Humberto I e Vittorio Emanuele de Sabóia, o Pai da Pátria, e o pintor Rafael Sanzio de Urbino.

Anita Garibaldi reconheceu que seu empenho pela exumação traz consigo o desejo de que com um tratamento monumental dos restos de Garibaldi ressurgiria a "ideia de uma grande Itália e de uma Europa unida" que o herói tanto promoveu com sua luta e seus escritos.

    Leia tudo sobre: itáliagaribaldirestosexumaçãounificaçãocorpo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG