Maioria das instituições investigadas está localizada em áreas nobres, no leste de Santiago, a capital chilena

BBC

Promotores do Chile estão investigando cerca de 60 escolas da capital, Santiago, devido a acusações de abuso sexual contra os alunos. A maioria das escolas investigadas está localizada em áreas mais ricas, no leste da capital chilena.

Leia também: Abuso sexual é o 2º maior tipo de violência sofrida por crianças no Brasil

Igreja Católica : Casos de pedofilia custaram mais de US$ 2 bilhões

O procurador-geral chileno, Sabas Chahuan, afirmou que 49 escolas no leste de Santiago e mais de dez na região oeste da cidade serão investigadas. "Onde quer que as crianças estejam, vamos investigar, da mesma forma que fazemos com corrupção ou crimes contra a economia", disse Chahuan na sexta-feira, depois de se reunir com representantes da associação de pais.

"Nos colocamos no lugar dos pais e sabemos que eles estão preocupados, ansiosos e desesperados." No começo da semana, o presidente, Sebastian Pinera, anunciou uma série de medidas para combater o abuso sexual de crianças.

Aumento nas denúncias

A investigação começou depois de um aumento no número de denúncias de abuso sexual infantil em escolas e creches registrado em 2012. Segundo a Autoridade Nacional de Promotores do Chile, as denúncias de abuso sexual de crianças com menos de 14 anos aumentaram em 22% no primeiro semestre de 2012 em comparação com o mesmo período de 2011.

Na quarta-feira, o presidente Pinera afirmou que um banco de dados com os registros de pessoas que já foram condenadas por abuso sexual de crianças e adolescentes ou por crimes ligados à pornografia infantil começará a funcionar em agosto.

Uma nova lei foi aprovada no Chile em junho proibindo que pessoas já condenadas por pedofilia trabalhem perto de crianças.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.