Ataque provoca revisão de medidas de segurança em cinemas dos EUA

Ação de atirador no Colorado choca indústria cinematográfica americana, leva a cancelamento de estreia em Paris e policiamento em salas

iG São Paulo | - Atualizada às

A organização que representa os donos de cinemas dos Estados Unidos afirmou nesta sexta-feira que fará uma revisão dos procedimentos de segurança das salas do país, após o ataque que deixou 12 mortos em Aurora, no Colorado, durante a estreia do filme “ Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge ”.

A tragédia chocou a indústria do cinema nos EUA, levou ao cancelamento da premiere do filme em Paris e fez com que cidades como Nova York reforçassem a vigilância nas salas nas quais a produção está em cartaz.

Leia também: Atirador deixa ao menos 12 mortos na estreia do 'Batman' nos EUA

AP
Policiais são vistos em frente a cinema de Nova York que exibe o novo filme do Batman


“A segurança dos clientes é e continuará sendo uma prioridade para os donos de cinemas. Estamos trabalhando de perto com autoridades e revisando nossos procedimentos”, afirmou, em comunicado, a Associação Nacional dos Donos de Cinemas dos Estados Unidos (NATO, na sigla em inglês).

A empresa Cinemark Holdings, dona do cinema onde o ataque aconteceu, também emitiu um comunicado lamentando o ataque, assim como executivos da Warner Bros., estúdio que produziu o filme, cuja premiere mundial aconteceu a meia-noite. A prática de promover lançamentos de madrugada, aliás, deve ser questionada como consequência da tragédia.

O estúdio não deu mais informações sobre possíveis cancelamentos de exibições ou precauções tomadas. Em todo o país, cerca de 3,7 mil salas exibiram “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge” à meia-noite, um número que passará para 4.404 neste fim de semana.

Em Nova York, o Departamento de Polícia da cidade está oferecendo cobertura para os cinemas que exibem os filmes “como precaução contra possíveis imitadores”, informou o chefe da polícia, Raymond Kelly.

Não está claro se os motivos do atirador para cometer o ataque tinham algo a ver com o filme, no qual há uma cena em que um criminoso mascarado ataca o público de um estádio de futebol com armas e explosivos. Na história em quadrinhos que deu origem ao filme, Bruce Wayne começa sua jornada em direção a virar o Batman após testemunhar a morte dos pais, atingidos por disparos após deixarem um cinema.

O atentado

Esse foi o pior ataque nos EUA desde que um psiquiatra do Exército matou 13 soldados e civis na base militar de Fort Hood, no Texas, em 2009. Entre os feridos estão algumas crianças, sendo a mais jovem um bebê de quatro meses que já recebeu alta. Aurora fica a cerca de 15 km do centro de Denver e a apenas 32 km do local do massacre de 1999 na escola de Columbine, que matou 12 alunos, um professor e deixou 24 feridos.

O suspeito pelo massacre em Aurora foi detido, anunciou a polícia, e identificado como James Holmes, de 24 anos. Segundo um agente federal, ele nasceu no Estado do Tennessee em 13 de dezembro de 1987 e é morador de Aurora, a terceira cidade mais populosa do Colorado. Ele era estudante da Escola de Medicina da Universidade do Colorado em Denver até o mês passado, quando largou o curso.

Oates afirmou que o suspeito alegou ter explosivos em sua casa. Durante a investigação no local, a polícia e agentes do FBI descobriram que o apartamento estava com armadilhas, tendo sido encontrados no local explosivos aparentemente "muito sofisticados". As autoridades esvaziaram cinco prédios enquanto verificam como desarmarão o material inflamável e explosivo. Segundo a Reuters, os trabalhos no local podem durar "horas ou dias".

    Leia tudo sobre: euaataque em aurorabatmanatiradorcolorado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG