Chile indicia dois coronéis pela morte do pai da ex-presidente Michelle Bachelet

Ramón Cáceres e Edgar Ceballos são acusados de torturar na Academia de Guerra da Força Aérea Alberto Bachelet, preso durante o regime militar do ditador Augusto Pinochet

AFP |

AFP

Dois coronéis reformados da Força Aérea do Chile foram detidos e indiciados pelas torturas que causaram a morte do pais da ex-presidente chilena Michelle Bachelet, morto na prisão durante a ditadura de Augusto Pinochet.

Ditadura: Argentina condena ex-líderes militares à prisão por roubo de bebês

EFE
Pai de ex-presidente Michelle Bachelet foi preso e acusado de trair a pátria por ter integrado gabinete de Allende (foto de arquivo)

"Declara-se o processo contra Ramón Cáceres e Edgar Ceballos como coautores do delito de torturas resultante em morto", indica a decisão emitida nesta terça-feira pelo juiz Mario Carroza, que investiga as causas da morte do general da Força Aérea Alberto Bachelet desde agosto de 2011.

Depois da decisão, Cáceres e Ceballos foram detidos pela brigada de Direitos Humanos da Polícia de Investigações do Chile e levados para a base aérea El Bosque, em Santiago.

Os dois ex-chefes militares foram acusados de torturar na Academia de Guerra da Força Aérea Alberto Bachelet, que foi preso depois do golpe militar que instaurou a ditadura de Pinochet em 1973 e submetido a um Conselho de Guerra acusado de trair a pátria por integrar o gabinete do presidente socialista Salvador Allende, no poder de 1970 a 1973.

    Leia tudo sobre: chileditadurapinochetbachelettorturamilitares

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG