Ex-general sérvio-bósnio foi levado de audiência por 'precaução', segundo porta-voz do Tribunal Pena Internacional para a ex-Iugoslávia

AFP

O ex-general sérvio-bósnio Ratko Mladic foi hospitalizado "por precaução" na manhã desta quinta-feira depois de não se sentir bem em uma audiência do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia.

Leia também: Testemunha descreve horrores de ataque na Bósnia 

"Mladic não se sentia bem e foi levado ao hospital por precaução", disse Nerma Jelacic, porta-voz do TPII em Haia.

Imagem de vídeo mostra ex-general servo-bósnio Ratko Mladic no Tribunal Penal Internacional em Haia (9/7)
AP
Imagem de vídeo mostra ex-general servo-bósnio Ratko Mladic no Tribunal Penal Internacional em Haia (9/7)

O juiz Alphons Orie suspendeu a audiência às 10h30 locais (5h30 de Brasília) depois de comprovar que Mladic, 70 anos, não se sentia bem.

O julgamento de Mladic, suspenso no dia 17 de maio a pedido da defesa, foi retomado na segunda-feira com a audiência de uma primeira testemunha da acusação, um muçulmano que sobreviveu à execução de cerca de 150 pessoas em novembro de 1993 no povoado de Grabovica, ao norte da Bósnia.

Mladic é acusado de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra cometidos durante a guerra na Bósnia (1992-1995), na qual morreram 100 mil pessoas e outras 2,2 milhões foram obrigadas a se deslocar.Segundo a acusação, seus homens mataram, estupraram, torturaram, prenderam e expulsaram milhares de muçulmanos e croatas em 14 municípios da Bósnia, entre os quais Grabovica.

Ratko Mladic é acusado , em particular, do massacre de Srebrenica , em julho de 1995, durante o qual cerca de 8 mil homens e adolescentes muçulmanos foram executados pelas forças sérvias da Bósnia, no que é considerada a pior atrocidade na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

O massacre de Srebrenica foi classificado de genocídio pela justiça internacional. A cidade que estava sob proteção dos capacetes azuis da ONU caiu nas mãos das forças sérvias da Bósnia no dia 11 de julho de 1995.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.