Túmulos de soldados alemães da Primeira Guerra são violados na França

Cruzes foram arrancadas de sepulturas em cemitério militar localizado em Saint-Étienne-à-Arnes, Ardennes, no noroeste francês

iG São Paulo |

Cerca de 40 túmulos de soldados alemães da Primeira Guerra Mundial foram profanados no sábado em um cemitério militar da localidade de Saint-Étienne-à-Arnes, em Ardennes (nordeste da França), anunciou neste domingo a promotoria de Charleville Mezières.

Alsácia:  Territórios vizinhos ressaltam problemas da economia da França

O ministro do Interior francês, Manuel Valls, em um comunicado difundido na noite de sábado, condenou a profanação. De acordo com a prefeitura local, nenhum elemento permite determinar se foi uma ação planejada.

AFP
Cruzes foram arrancadas de sepulturas de militares que lutaram na Primeira Guerra

Segundo os primeiro elementos da investigação, as cruzes dos túmulos foram arrancadas e algumas utilizadas para fazer uma fogueira perto de onde foram encontrados inúmeras garrafas de álcool e cerveja.

No cemitério de 4 hectares estão cerca de 12 mil sepulturas de combatentes da Primeira Guerra Mundial. Elas dizem respeito a militares que morreram nas batalhas de Champagne, na primeira parte desse conflito mundial.

Soldados americanos: Sacrifícios da 1ª Guerra ressoam em campos franceses

Após receber a notícia da profanação, o presidente francês, François Hollande, declarou neste domingo, na cidade de Reims, ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, que "nenhuma força obscura, e menos ainda uma tolice (...), poderá alterar o movimento profundo de amizade franco-alemã".

Reconciliação

As profanações acontecem no momento em que França e Alemanha comemoram, neste fim de semana, o cinquentário de sua reconciliação, tendo como centro das celebrações o encontro entre Merkel e Hollande, em Reims, a 40 km do local do crime.

Ainda neste domingo, uma coroa de flores será depositada no local da profanação para marcar "o compromisso inquebrantável da República com a amizade franco-alemã", enfatizou Valls.

Mais de 17 anos depois da Segunda Guerra Mundial e depois de três conflitos sucessivos entre os dois países, a reconciliação franco-alemã foi oficialmente selada com uma visita oficial do chanceler Konrad Adenauer à França, de 5 a 8 julho de 1962. No dia 8 de julho seguinte, o chanceler alemão e o general De Gaulle assistiram juntos a uma missa na catedral de Reims. Dois meses mais tarde, De Gaulle realizou uma visita oficial à República Federal Alemã.

    Leia tudo sobre: soldadosprimeira guerrafrançaalemanhatúmulos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG