Após acordo, caminhões da Otan cruzam fronteira do Paquistão com Afeganistão

Rotas foram bloqueadas por sete meses após ataque americano matar 24 soldados paquistaneses em novembro; pedido de desculpas de Hillary possibilitou reabertura

iG São Paulo |

Dois caminhões com suprimentos da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) entraram nesta quinta-feira no Afeganistão procedentes do Paquistão, disseram autoridades alfandegárias, após mais de sete meses de proibição paquistanesa à passagem desses veículos por suas estradas.

Acordo: Paquistão reabrirá rotas de abastecimento para Otan no Afeganistão

Reuters
Na cidade paquistanesa de Chaman, motorista limpa vidro de caminhão carregando humvees para soldados da Otan no Afeganistão (04/07)

Isso foi possível graças a um acordo anunciado nesta semana entre Paquistão e EUA, encerrando um impasse que havia sido iniciado pela morte de 24 soldados paquistaneses num bombardeio aéreo americano em novembro.

As mortes aumentaram as tensões entre Washington e Islamabad, cujas relações já estavam abaladas desde o ataque secreto americano que matou Osama bin Laden em maio de 2011 no
norte paquistanês.

O acordo desta semana prevê, entre outros pontos, a liberação de uma ajuda americana de US$ 1,1 bilhão de dólares para o Exército paquistanês que os EUA haviam congelado ano passado.

"Recebemos ordens ontem (quarta-feira) para permitir que os caminhões de abastecimento da Otan passem, mas as autoridades de segurança não haviam recebido suas instruções", disse o agente alfandegário Imran Raza, no posto de controle de Chaman. "Eles receberam suas ordens hoje, e agora os dois caminhões já cruzaram a fronteira com o Afeganistão."

Pelo menos dois caminhões com água mineral para as tropas da Otan atravessaram o
posto de fronteira de Chaman, sudoeste do Paquistão.

Por exigência de Islamabad, a secretária americana de Estado, Hillary Clinton, disse na terça-feira à sua colega paquistanesa, Hina Rabbani Khar, que os EUA lamentavam o incidente de novembro.

O Paquistão, por sua vez, abriu mão de aumentar o pedágio cobrado dos caminhões. Por causa do bloqueio paquistanês, a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan no
Afeganistão precisava buscar rotas alternativas para abastecer suas tropas, o que aumentava o tempo de deslocamento em até duas vezes e meia.

*Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: paquistãoeuaafeganistãootantaleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG