Paquistão reabrirá rotas de abastecimento para tropas da Otan no Afeganistão

Medida ocorre após pedido de desculpas formal feito pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton, por ataque que matou 24 militares paquistaneses em novembro

iG São Paulo |

O Paquistão reabrirá rotas de apoio cruciais para o abastecimento das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, depois de Washington ter se desculpado pela morte de 24 soldados paquistaneses em novembro.

Retaliação:  Paquistão acusa Otan pela morte de soldados e fecha rotas de apoio 

“Ofereci nossas mais sinceras condolências às famílias dos soldados paquistaneses que perderam suas vidas”, disse a secretária de Estado americana, Hillary Clinton. “A ministra das Relações Exteriores (Hina Rabbani) Khar e eu reconhecemos os erros que resultaram em perdas de militares paquistaneses”.

AP
Caminhões usados para transportar petróleo utilizados pela Otan no Afeganistão são vistos parados em Karachi, no Paquistão (2/7)

“Sentimos muito pelas perdas que as forças paquistanesas sofreram. Nos comprometemos a trabalhar estreitamente com o Paquistão e o Afeganistão para evitar que isso ocorra novamente”, acrescentou Hillary.

Campanha: Taleban cancela vacinação com medo de espionagem americana

Esta é a primeira vez que uma autoridade americana se desculpa formalmente pelas mortes, um gesto amplamente debatido nos bastidores do governo Obama e que já havia sido demandado pelo Paquistão, enquanto as rotas permaneciam fechadas por meses. O anúncio acontece no momento em que autoridades civis e militares discutem nesta terça-feira em Islamabad a abertura das rotas utilizadas para abastecimento da Otan.

Hillary disse que Islamabad não cobrará qualquer tipo de pedágio quando as rotas estiverem totalmente reabertas. Ela falou sobre o assunto em Washington depois de conversar ao telefone com a colega paquistanês, Hina Rabbani Khar.

Bin Laden

O fechamento das rotas do Paquistão, necessários para as tropas em operação no Afeganistão, abalaram ainda mais as relações entre Paquistão e EUA, já deterioradas desde maio de 2011, quando Washington realizou uma ação para matar Osama Bin Laden em território paquistanês.

Pouco antes do anúncio feito pela secretária de Estado americana, o primeiro-ministro paquistanês, Raja Pervez Ashraf , disse que o caso abalou as relações de seu país com os EUA, assim como com outros 49 Estados-membros da Otan.

As rotas de suprimento se mostram cada vez mais importantes no momento em que as forças da Otan se preparam para retirar suas tropas de combate do Afeganistão em 2014.

Hello!: No Paquistão marcado por violência, revista foca em mundo das celebridades

Durante a disputa, os EUA se viram obrigado a reduzir sua dependência em relação ao Paquistão, usando rotas alternativas, como pela Ásia Central.

*Com BBC e AP

    Leia tudo sobre: paquistãoeuaafeganistãorotasotanataquehillary

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG