Declaração é feita após chanceler do Uruguai dizer que incorporação venezuelana no bloco ocorreu após pressão do Brasil

EFE

A Argentina disse na segunda-feira que a decisão sobre a entrada da Venezuela no Mercosul como membro pleno foi adotada de forma unânime pelos presidentes de Argentina, Brasil e Uruguai durante a cúpula semestral do bloco, realizada na sexta-feira na cidade argentina de Mendoza.

Análise:  China e Aliança do Pacífico pressionam Brasil a ampliar Mercosul

Presidentas da Argentina, Cristina Kirchner, e do Brasil, Dilma Rousseff, são vistas durante cúpula do Mercosul em Mendoza (29/06)
EFE
Presidentas da Argentina, Cristina Kirchner, e do Brasil, Dilma Rousseff, são vistas durante cúpula do Mercosul em Mendoza (29/06)

Bloco: Mercosul suspende Paraguai e anuncia adesão da Venezuela

A posição argentina coincide com a já expressada pelo Brasil, depois de o governo uruguaio ter surpreendido ao afirmar, por meio de seu chanceler, Luis Almagro, que o ingresso da Venezuela no Mercosul foi feito após pressão do Brasil .

Marco Auréli Garcia:  Brasil nega pressão para entrada da Venezuela no Mercosul

Segundo indicou a Chancelaria argentina em comunicado, na sexta-feira, depois de uma reunião dos presidentes Dilma Rousseff (Brasil), Cristina Kirchner (Argentina) e José Mujica (Uruguai), foram ouvidas as posições dos chanceleres e dos assessores jurídicos dos governos do Brasil e da Argentina.

Depois disso, os líderes decidiram pela entrada da Venezuela em uma reunião a sós. "A análise dos assessores legais presentes também foi unânime ao avaliar que o ingresso da Venezuela cumpre estritamente com os tratados do Mercosul e as legislações nacionais dos países participantes", disse a Chancelaria argentina.

Segundo o comunicado oficial, a resolução aprovando a entrada "foi pactuada entre os chanceleres dos três países e os assessores jurídicos e aprovada pelos presidentes". A cerimônia de ingresso da Venezuela ocorrerá em 31 de julho, no Rio de Janeiro, com a presença dos presidentes de Argentina, Uruguai, Brasil e Venezuela, diz o comunicado.

Voto contra: Uruguai se opôs à entrada da Venezuela no Mercosul, diz chanceler

O ingresso da Venezuela, aprovado em 2006, estava travado pela negativa do Senado paraguaio em ratificar o protocolo correspondente. O Paraguai foi suspenso do Mercosul depois da destituição do presidente Fernando Lugo em um julgamento político realizado pelo Senado de seu país em cerca de 30 horas. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.