China suspende construção de usina poluente após violentos protestos

Manifestantes entraram em confronto na segunda-feira com forças de segurança em Shifang, onde governo previa construir fábrica de metais pesados; tensão continua nesta terça

AFP |

AFP

A tensão reinava nesta terça-feira na cidade de Shifang, no sudoeste da China, palco de duros confrontos e implacável repressão policial contra manifestantes opostos à construção de uma usina poluente.

Feto de 7 meses: Família chinesa vítima de aborto forçado enfrenta pressão das autoridades

Reuters
Residentes se reúnem em frente de prédio do governo municipal em Shifang, Província de Sichuan, para protestar contra construção de usina (02/07)

23 anos: China prende ativistas e rejeita crítica dos EUA sobre Praça da Paz Celestial

Segundo moradores entrevistados pela AFP, os confrontos entre manifestantes e forças de segurança, dotadas de cassetetes e bombas de gás lacrimogêneo, prosseguiam nesta terça pelo segundo dia consecutivo.

Shifang, uma cidade de 220 mil habitantes, ainda se recupera das destruições provocadas pelo terremoto de Sichuan, que deixou 88 mil mortos e desaparecidos em 2008.

Segundo o governo, manifestantes atacaram na segunda-feira edifícios oficiais lançando tijolos e pedras e agredindo diretamente a polícia e outros funcionários. A polícia advertiu nesta terça-feira aos manifestantes que serão "severamente castigados" se prosseguirem com suas ações "ilegais".

Apesar disso, manifestações esporádicas ocorriam nesta terça, segundo testemunhos recolhidos pela AFP.

"Acabo de ir a uma pequena praça do centro da cidade. Aqui há centenas, talvez mais de 1 mil pessoas. Quando me misturei aos manifestantes, a polícia utilizou bombas de gás lacrimogêneo", declarou por telefone uma mulher que pediu o anonimato.

Um site governamental, enorth.com.cn, também se referiu à utilização de bombas de gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral contra os manifestantes na segunda-feira em Shifang.

"Vários policiais ficaram feridos, e dezenas de carros da polícia ficaram danificados ou foram virados", segundo o site, que informa que, "durante a dispersão (da manifestação), 13 pessoas ficaram levemente feridas, e todas foram levadas a hospitais". Nesta terça, não foi possível entrar em contato com a polícia ou com as autoridades de Shifang.

Várias fotos publicadas na internet, cuja autenticidade não pôde ser verificada até o momento, mostravam confrontos entre centenas de policiais antidistúrbios e manifestantes.

Muitas das fotos também mostram manifestantes ensanguentados, e em outras é possível ver centenas marchando nas ruas com cartazes que pedem o abandono do projeto da fábrica.

Ativista cego: Ilegalidade atrapalha avanço democrático na China

Essa usina metalúrgica estaria dedicada ao tratamento de metais pesados, como o cobre e o molibdeno. Diante dos temores da população sobre seu impacto no meio ambiente, o governo local havia anunciado na segunda-feira a suspensão de sua construção.

Os riscos de contaminação se converteram em uma frequente fonte de descontentamento na China, onde o meio ambiente costuma ser sacrificado diante de um crescimento econômico e de uma industrialização desenfreados.

As autoridades chinesas temem pela estabilidade social, especialmente antes do congresso do Partido Comunista, no outono (no hemisfério norte), que permitirá o acesso ao poder em Pequim de uma nova geração de dirigentes.

    Leia tudo sobre: chinaprotestosShifangpoluiçãousina metalúrgica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG