Após impeachment que derrubou Fernando Lugo, presidenta se reúne no Palácio da Alvorada com Celso Amorim, Antonio Patriota e Edison Lobão

A presidenta Dilma Rousseff está reunida, no Palácio da Alvorada, com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para discutir a situação política no Paraguai . Desde que o ministro retornou ao Brasil após a missão de chanceleres da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) ao Paraguai, ainda não tinha se reunido com a presidenta.

Reação no Brasil: Brasília recebe protesto contra impeachment de Lugo

Dilma Rousseff está reunida com ministros no Palácio da Alvorada (Foto de Arquivo)
Agência Brasil
Dilma Rousseff está reunida com ministros no Palácio da Alvorada (Foto de Arquivo)


Saiba mais:  Líder paraguaio quer desfazer mal-estar com Brasil e mais vizinhos

Patriota chegou ao Brasil na madrugada deste sábado, foi para o Rio de Janeiro e depois voltou para Brasília. A missão de chanceleres foi a Assunção na tentativa de conter o processo de impeachment do presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

O Senado aprovou, no fim da tarde de sexta-feira, a perda do mandato de Lugo , acusado de mau desempenho na Presidência, sobretudo diante de conflitos entre camponeses e policiais . O vice-presidente, Federico Franco, assumiu o cargo .

Também participam do encontro no Palácio da Alvorada os ministros da Defesa, Celso Amorim, e de Minas e Energia, Edison Lobão.

Novo presidente

Franco disse neste sábado que espera manter com o Brasil relações harmônicas, assim como garantiu que preservará os direitos e a segurança dos brasiguaios (agricultures brasileiros que moram em território paraguaio). Ele avisou ainda que aguarda da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) apoio para governar.

Franco quer evitar o desconforto com os países vizinhos, principalmente com Brasil e Uruguai. Determinado a desfazer o mal-estar causado pela destituição do então presidente Fernando Lugo, Franco pretende procurar nos próximos dias Dilma e o presidente do Uruguai, José Pepe Mujica.

Franco também se preocupa com a questão energética, uma vez que a Usina Itaipu Binacional é fundamental para o abastecimento de energia para o Paraguai e a economia do país. Segundo assessores, o ministro das Relações Exteriores, José Félix Fernández, vai procurar o chanceler brasileiro.

Trajetória

Aos 49 anos, o novo presidente do Paraguai é definido como um político "conservador" e "ambicioso". Ele deverá governar o país até agosto do ano que vem, quando está previsto que passe a faixa presidencial para o presidente eleito em abril de 2013. Segundo analistas, para governar ele deverá buscar alianças com outras legendas, como a UNACE, uma dissidência dos colorados criada pelo ex-general e agora político Lino Oviedo.

De família de políticos tradicionais no Paraguai, o novo presidente construiu uma história sólida e rígida de vida. Ele foi o segundo da família a ser vice-presidente no país, depois do irmão Júlio César Franco (2000-2002). Médico cardiologista, Franco mantém hábitos severos. Como seu antecessor Fernando Lugo, é católico praticante e gosta de ir à missa logo cedo aos domingos.

Assista depoimento de Lugo após destituição:

Lugo: 'Destituição não é golpe a Lugo, mas à história paraguaia', diz líder cassado

Sistemático, Franco exige dos assessores e funcionários o cumprimento de horários. Mal assumiu o poder, marcou reunião para este sábado a partir das 8h. Em discussão, a formação do novo governo e as prioridades que serão adotadas. O novo presidente avisou que pretende construir um governo de coalizão nos próximos meses até as eleições de 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.