Dilma e ministros discutem situação política do Paraguai

Após impeachment que derrubou Fernando Lugo, presidenta se reúne no Palácio da Alvorada com Celso Amorim, Antonio Patriota e Edison Lobão

iG São Paulo | - Atualizada às

A presidenta Dilma Rousseff está reunida, no Palácio da Alvorada, com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para discutir a situação política no Paraguai . Desde que o ministro retornou ao Brasil após a missão de chanceleres da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) ao Paraguai, ainda não tinha se reunido com a presidenta.

Reação no Brasil: Brasília recebe protesto contra impeachment de Lugo

Agência Brasil
Dilma Rousseff está reunida com ministros no Palácio da Alvorada (Foto de Arquivo)


Saiba mais:  Líder paraguaio quer desfazer mal-estar com Brasil e mais vizinhos

Patriota chegou ao Brasil na madrugada deste sábado, foi para o Rio de Janeiro e depois voltou para Brasília. A missão de chanceleres foi a Assunção na tentativa de conter o processo de impeachment do presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

O Senado aprovou, no fim da tarde de sexta-feira, a perda do mandato de Lugo , acusado de mau desempenho na Presidência, sobretudo diante de conflitos entre camponeses e policiais . O vice-presidente, Federico Franco, assumiu o cargo .

Também participam do encontro no Palácio da Alvorada os ministros da Defesa, Celso Amorim, e de Minas e Energia, Edison Lobão.

Novo presidente

Franco disse neste sábado que espera manter com o Brasil relações harmônicas, assim como garantiu que preservará os direitos e a segurança dos brasiguaios (agricultures brasileiros que moram em território paraguaio). Ele avisou ainda que aguarda da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) apoio para governar.

Franco quer evitar o desconforto com os países vizinhos, principalmente com Brasil e Uruguai. Determinado a desfazer o mal-estar causado pela destituição do então presidente Fernando Lugo, Franco pretende procurar nos próximos dias Dilma e o presidente do Uruguai, José Pepe Mujica.

Franco também se preocupa com a questão energética, uma vez que a Usina Itaipu Binacional é fundamental para o abastecimento de energia para o Paraguai e a economia do país. Segundo assessores, o ministro das Relações Exteriores, José Félix Fernández, vai procurar o chanceler brasileiro.

Trajetória

Aos 49 anos, o novo presidente do Paraguai é definido como um político "conservador" e "ambicioso". Ele deverá governar o país até agosto do ano que vem, quando está previsto que passe a faixa presidencial para o presidente eleito em abril de 2013. Segundo analistas, para governar ele deverá buscar alianças com outras legendas, como a UNACE, uma dissidência dos colorados criada pelo ex-general e agora político Lino Oviedo.

De família de políticos tradicionais no Paraguai, o novo presidente construiu uma história sólida e rígida de vida. Ele foi o segundo da família a ser vice-presidente no país, depois do irmão Júlio César Franco (2000-2002). Médico cardiologista, Franco mantém hábitos severos. Como seu antecessor Fernando Lugo, é católico praticante e gosta de ir à missa logo cedo aos domingos.

Assista depoimento de Lugo após destituição:

Lugo: 'Destituição não é golpe a Lugo, mas à história paraguaia', diz líder cassado

Sistemático, Franco exige dos assessores e funcionários o cumprimento de horários. Mal assumiu o poder, marcou reunião para este sábado a partir das 8h. Em discussão, a formação do novo governo e as prioridades que serão adotadas. O novo presidente avisou que pretende construir um governo de coalizão nos próximos meses até as eleições de 2013.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG