Hillary defende parceria com setor privado e direito reprodutivo das mulheres

Secretária de Estado dos EUA citou Steve Jobs para pregar que Rio deixe como legado forma de pensar "grande" e "diferente"

Raphael Gomide iG Rio de Janeiro |

AP Photo
A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, defendeu o fortalecimento de parcerias entre governos e o setor privado para avançar no desenvolvimento sustentável. Ela citou o fundador da Apple Steve Jobs, morto em 2011, para dizer que o maior legado da Rio+20 não deve ser seu documento principal, mas uma nova forma de pensar “grande” e de forma “diferente”, inovadora.

Saiba tudo sobre a Rio+20

“Nós acreditamos que as soluções exigem ação de todos nós. Governos, claro: vamos fazer a nossa parte e mais que a nossa parte, pavimentando o caminho para energia limpa, garantir que o mercado privado tenha cadeias de produção sustentáveis. Vamos trazer para junto de nós as empresas sem fins lucrativos, a sociedade civil, ONGs, indivíduos, todos”, disse.

Como exemplo, ela citou uma parceria público-privada do gênero com os EUA feita na manhã desta sexta no Riocentro, em que ela anunciou a liberação de US$ 20 milhões para financiar pesquisas para instalar energia verde na África, onde apenas 26% das casas têm energia elétrica.

“Não podemos nos fechar nas ortodoxias do passado e precisamos tomar decisões baseadas em pesquisas e provas científicas. E, acima de tudo, precisamos estimular parcerias que produzam resultados ano após ano.”

Em duas frases, defendeu a posição dos EUA de exigir embasamento científico para adiar compromissos – inclusive financeiros – imediatos para o desenvolvimento sustentável, como queriam países pobres nas negociações do documento final, e sugeriu a parceria com o setor privado para avançar.

Para ela, “embora o documento tenha muitas propostas interessantes, o mais estimulante produto será que saiamos daqui com novas ideias que podem servir de modelo para ações futuras. Esperamos que se diga que as pessoas saíram do Rio pensando, como dizia o falecido Steve Jobs, não só grande como de forma diferente”, afirmou.

Hillary defende direito reprodutivo das mulheres, retirado do texto

Hillary Clinton disse que, no que diz respeito a desenvolvimento sustentável, os chefes de Estado serão julgados “não pelo que dizem ou desejam fazer, mas pelo que entregarem às gerações futuras”. “Simplesmente não podemos nos dar ao luxo de falhar”, porque “sabemos que o futuro não está garantido.”

Segundo a secretária de Estado, como há forte pressão sobre o ambiente, “no século 21 o único tipo de desenvolvimento viável é o sustentável, e a única maneira de progresso para todos é pela preservação de recursos e pela proteção de nossas fontes comuns”.

Hillary Clinton foi aplaudida ao afirmar de forma veemente que os Estados Unidos apoiam que as mulheres tenham controle sobre seus direitos reprodutivos. O documento final retirou essa declaração conjunta, por pressão do Vaticano e de países islâmicos.

“Os EUA endossam o papel das mulheres na reprodução. Elas devem ter o direito de escolher quando ter filhos. Os EUA vão continuar a lutar para que esses direitos sejam respeitados.”

    Leia tudo sobre: rio20rio+20hillary clintonestados unidos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG