Shahabuddin, escolhido pelo presidente Asif Ali Zardari, é suspeito em um caso de importação de remédio ilegal quando era ministro da Saúde

Um juiz de um tribunal da cidade paquistanesa de Rawalpindi ordenou nesta quinta-feira a prisão de Makhdoom Shahabuddin, candidato preferido do presidente Asif Ali Zardari para substituir Yousaf Raza Gilani como primeiro-ministro do Paquistão.

Justiça: Suprema Corte do Paquistão desabilita primeiro-ministro

Makhdoom Shahabuddin, indicado como primeiro-ministro pelo Partido Popular do Paquistão, acena depois de apresentar sua candidatura no Parlamento em Islamabad, Paquistão
AP
Makhdoom Shahabuddin, indicado como primeiro-ministro pelo Partido Popular do Paquistão, acena depois de apresentar sua candidatura no Parlamento em Islamabad, Paquistão

Decisão: Supremo condena premiê do Paquistão a menos de um minuto de prisão

O mandado de prisão foi emitido um dia depois de seu nome ter sido indicado para ser aprovado na sessão parlamentar prevista para ocorrer na sexta-feira. Ainda não está claro se a ordem judicial impedirá a nomeação de Shahabuddin para o cargo.

A ordem judicial diz respeito a um caso de importação de um remédio ilegal relativo à época em que Shahabuddin era ministro da Saúde. Esse escândalo também envolve Ali Musa Gilani, filho do ex-primeiro-ministro que também tem uma ordem de detenção.

De acordo com o diário Expres Tribune, Shafqatula Khan, magistrado do grupo antinarcóticos, ordenou que Shahabuddin, o filho de Gilani e uma terceira pessoa sejam detidos e levados ao tribunal antes de uma semana.

O juiz aceitou ditar a detenção após atender os membros das forças de segurança que apresentaram um relatório no qual asseguram ter testemunhos e provas da ligação de Shahabuddin com o esquema de corrupção que favorecia duas empresas na fabricação de medicamentos.

Zardari fez sua escolha na quarta-feira, após um dia de frenética atividade política na sede do governista Partido Popular do Paquistão (PPP). O presidente, segundo diversos informações, também nomeou Pervez Ashraf, outro ex-membro do gabinete, como candidato suplente, caso o escolhido em primeiro lugar não supere o trâmite na Assembleia Nacional.

Shahabuddin é deputado desde o início da atual legislatura, em 2008, e ocupou as pastas da Saúde, das Finanças e de Têxteis no Governo do PPP. Como ministro da Saúde, Shahabuddin se viu envolvido em um escândalo pela manipulação de taxas de importação de fármacos para desviar produtos ao consumo interno.

Shahabuddin nasceu na Província do Punyab, no nordeste do Paquistão e a mais povoada do Paquistão, o que aparecia como um requisito imprescindível para o novo primeiro-ministro, já que o PPP quer garantir suas posições políticas nessa região.

O primeiro-ministro até agora, Yousaf Raza Gilani, recém-inabilitado , também tem suas origens familiares no Punyab. A crise de governo começou na terça-feira, quando a Suprema Corte ditou a desqualificação de Gilani como chefe do Executivo por causa de sua condenação por desacato em abril, em um caso de corrupção que também envolve o presidente Zardari.

*Com EFE e BBC 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.