Indonésia condena militante a 20 anos de prisão por atentado em Bali

Umar Patek foi considerado culpado de assassinato e fabricação das bombas para os ataques que deixaram mais de 200 mortos em 2002

iG São Paulo |

A Justiça da Indonésia condenou a 20 anos de prisão o homem acusado de ser um dos coordenadores dos atentados a bomba em Bali que mataram mais de 200 pessoas em 2002.

Terrorismo: Começa julgamento de militante acusado de atentado em Bali

AP
Umar Patek conversa com advogado após anúncio da sentença em corte de Jacarta

Umar Patek foi considerado culpado de assassinato e fabricação das bombas para os ataques ocorridos na Indonésia.

Ele também foi considerado culpado de envolvimento em ataques contra igrejas na capital do país, Jacarta, nos quais 19 pessoas morreram.

Durante o julgamento, Patek pediu perdão diversas vezes. A promotoria decidiu não pedir a pena de morte.

"Condenamos Umar Patek a 20 anos de prisão", declarou o presidente do tribunal de Jacarta, Encep Yuliardi, ao emitir o veredicto contra o indonésio de 45 anos.

Outras três pessoas foram executadas devido aos ataques contra casas noturnas de Bali em 2002, que eram frequentadas principalmente por turistas estrangeiros. O ataque ocorreu cerca de um ano depois dos ataques do 11 de Setembro e trouxe atenção internacional a um grupo ligado a Al-Qaeda, cujo objetivo é criar um Estado pan islâmico no Sudeste Asiático.

Patek é considerado o especialista em explosivos da rede islamita Jemaah Islamiyah e é conhecido como o “homem demolidor”. Ele foi capturado em janeiro de 2011 em Abbottabad, onde forças especiais dos EUA matariam Bin Laden meses depois. Patek era um dos suspeitos de terrorismo mais procurados da Ásia, com recompensa de US$ 1 milhão.

*Com BBC e AFP

    Leia tudo sobre: indonésiabalipatek11 de setembro11/9al-qaeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG